Polícia

Testemunha diz que médico foi empurrado por bombeiro durante confusão

Ele foi ouvido e liberado 

Midiamax Publicado em 05/05/2017, às 21h34

None
leblon.jpg

Ele foi ouvido e liberado 

Uma paciente da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) afirmou que o médico, de 32 anos, foi empurrado por um militar do Corpo de Bombeiros durante a discussão que aconteceu no local na manhã desta sexta-feira (5). O tumulto se iniciou no momento do atendimento de uma vítima de convulsão e o caso foi parar na delegacia.

A testemunha entrou em contado com o Jornal Midiamax nesta tarde e contou que o médico atendia a paciente quando foi empurrado pelo bombeiro. A vítima, segundo ela, sofria de insuficiência respiradora. No boletim de ocorrência registrado na 6ª Delegacia de Polícia Civil, o militar afirma que foi impedido de trabalhar, além de ser xingado.

A equipe do Corpo de Bombeiros, formada por um sargento e dois soldados, levou a paciente em crise convulsiva para a UPA, por volta das 8h20. Na versão do sargento, assim que chegaram ao local, ele pediu para os soldados retirarem a vítima da viatura e passarem ela para uma das macas da unidade que estavam no setor de emergência.

Foi nesse momento, ainda conforme o registro policial, que o médico se aproximou dizendo: “Não é pra deixar aí, quem manda aqui é eu” (sic). Consta também no boletim que o médico teria xingado o sargento e partido para cima dos bombeiros, que pediram que ele os acompanhasse até a delegacia.

O médico afirmou que só iria com um mandado judicial, e por isso o comandante da equipe e a Polícia Militar foram acionados. Todos foram levados para a 6ª Delegacia, ouvidos e liberados. A reportagem entrou em contato com o delegado responsável pelo caso, mas não teve sucesso. 

Jornal Midiamax