Polícia

Tenente-coronel que matou marido continuará atuando no TJ até 2018

Decreto foi publicado no Diário Oficial

Renata Portela Publicado em 19/01/2017, às 15h28

None
itamara.jpg

Decreto foi publicado no Diário Oficial

Em publicação no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (19), a governadora em exercício Rose Modesto (PSDB) autoriza que a tenente-coronel Itamara Romeiro Nogueira continue a atuar como policial militar no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul até 2018.

Conforme a publicação, Itamara continuará recebendo o salário de policial militar. Em agosto de 2016, a
Justiça determinou que ela gerencie a pensão que a filha, de 13 anos, recebe por conta da morte do pai, Valdeni Lopes Nogueira, que era major da PM.

“Precisa ficar claro, que o dinheiro não é para a tenente-coronel, que não precisa, mas sim para a filha que como herdeira tem todo o direito de receber a pensão deixada pelo pai”, esclareceu o advogado da policial na época.

Em dezembro, a Polícia Civil concluiu que Itamara matou o marido a tiros em legítima defesa. O crime aconteceu em 12 de julho, na residência do casal.

A morte

O caso aconteceu na casa, na Avenida Brasil Central no Bairro Santo Antônio. Segundo a polícia, os dois militares teriam se desentendido e durante a briga a tente-coronel da Polícia Militar efetuou dois disparos contra do marido, um deles atingiu o tórax da vítima. O Corpo de Bombeiros foi acionado e encaminhou o major para Santa Casa.

Depois do crime, a policial permaneceu dentro da residência ameaçando cometer suicídio. Familiares de Itamara, a advogada e o comandante do 1º BPM (Batalhão da Polícia Militar) foram até o local e conseguiram negociar para que ela se entregasse.

Jornal Midiamax