Polícia

Suspeito de matar a mulher a facadas volta um dia depois e incendeia residência

Denúncia foi feita por conhecidos

Renata Portela Publicado em 20/01/2017, às 14h47

None
jpnews_incendio.jpg

Denúncia foi feita por conhecidos

Efigênia Dinalva de Souza, de 35 anos, foi assassinada a facadas na quarta-feira (18) em Paranaíba, cidade a 407 quilômetros de Campo Grande. O marido é apontado como principal suspeito e, na noite de quinta-feira (19), ele teria voltado na casa onde morava com a mulher e provocado um incêndio.

Segundo as informações da polícia, Efigênia foi encontrada pela equipe policial deitada na calçada, ensanguentada. Ela foi ferida a facadas no pescoço e no peito e chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na Santa Casa. O marido é apontado como principal suspeito de cometer o feminicídio.

Já na noite de quinta-feira, policiais militares foram chamados para irem até a casa onde ocorria um incêndio. No local, os bombeiros já tinham controlado as chamas e uma vizinha contou que presenciou um homem dentro da casa. Ela disse que foi até a residência dar ração e água para o cachorro do vizinho, quando viu um homem vestindo jaqueta preta, toca e capacete, saindo da casa.

Segundo a testemunha, o homem fez sinal para ela ficar quieta. Ela saiu correndo para a rua e percebeu que o homem era Vanderlei, morador da casa e principal suspeito de ter matado a esposa, Efigênia. De acordo com a vizinha, ele fugiu em alta velocidade em uma Honda Bros vermelha. A casa começou a pegar fogo e o incêndio destruiu alguns móveis.

O filho da vítima de feminicídio, um jovem de 18 anos, procurou a delegacia após o ocorrido e disse que testemunhas viram o padrasto com um galão de gasolina em mãos momentos antes do incêndio. O suposto autor do feminicídio e do incêndio ainda não foi localizado e os casos são investigados pela Polícia Civil.

Jornal Midiamax