Polícia

Suspeito de abusar de 3 crianças em creche foi nomeado recentemente

Funcionário, que está preso preventivamente, pode perder o cargo

Midiamax Publicado em 01/12/2017, às 18h52

None

Funcionário, que está preso preventivamente, pode perder o cargo

A Prefeitura Municipal de Aquidauana esclareceu, nesta quinta-feira de 30 novembro, que o servidor público municipal J. L. de S. R., suspeito de abusar sexualmente de três crianças do Centro Municipal de Alfabetização Rotary Club, havia sido empossado recentemente e foi afastado do cargo de forma imediata mediante a denúncia dos pais. 

Conforme nota, os fatos denunciados foram devidamente registrados e lavrados em Atas pela Secretaria de Educação, e a Procuradoria Jurídica Municipal despachou determinação de providências, entre elas o afastamento imediato do servidor e abertura de Processo Administrativo Disciplinar para apuração do caso.

Além do afastamento cautelar, como autoriza disposição legal prevista na Lei Municipal n.° 1.231/91, e diante da gravidade da suspeita, a Prefeitura disponibilizou acompanhamento e apoio irrestrito, às famílias envolvidas no caso, principalmente psicológico.

Suspeito de abusar de 3 crianças em creche foi nomeado recentemente

O caso foi comunicado à autoridade policial, para apuração, em tese da infração penal cometida pelo servidor público. Ainda conforme a nota, a Prefeitura garante que todas as providências previstas à disposição do Poder Público Municipal foram tomadas, para esclarecer os fatos, punindo, se for o caso, o servidor público dentro das competências e atribuições respectivas.

Caso

A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira, 30 de novembro, o assistente pedagógico de 45 anos suspeito de ter abusado de três crianças na creche onde trabalha, em Aquidauana. O servidor negou ter praticado o crime.

De acordo com o delegado Antônio Ribas, que investiga o caso, na semana passada a família das vítimas teria comunicado à polícia sobre os supostos abusos cometidos na escola. Em depoimento, as crianças disseram que tiveram as partes íntimas tocadas pelo autor.

À polícia, o funcionário do colégio, de 45 anos, negou os abusos e afirmou que teria tocado os órgãos genitais das crianças no desempenho de seu serviço. “Ele disse que durante o serviço teria que higienizar as crianças e que neste momento as tocava somente para essa função, para dar banho”, explica o delegado.

Inquérito que investiga o suposto estupro foi instaurado e o suspeito teve prisão preventiva decretada. Agora, a polícia vai investigar se mais crianças teriam sido abusadas pelo autor.

Jornal Midiamax