Polícia

Superlotado, Presídio Feminino foi palco de disputa entre presas rivais

Polícia militar esteve no local

Renata Portela Publicado em 18/01/2017, às 15h27

None
viaturas4.jpeg

Polícia militar esteve no local

Um princípio de motim foi registrado na manhã desta quarta-feira (18) no Estabelecimento Penal Feminino Irmã Irma Zorzi, em Campo Grande. Briga entre lideranças de grupos oponentes teriam iniciado um conflito, que foi controlado pelos próprios agentes penitenciários.

Equipes da Força Tática da Polícia Militar estiveram no local e informaram que o conflito ocorreu durante a manhã e foi controlado. Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, a capacidade do Presídio Feminino é de 231 internas, mas atualmente abriga 336 presas. Batalhão de Choque também chegou a ser acionado e deve auxiliar os agentes em uma vistoria nas celas.

De acordo com o diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), Ailton Stropa, houve uma desavença entre dois grupos no presídio. Pelo motim, algumas detentas serão transferidas, para evitar novos conflitos.

O Batalhão de Choque foi acionado para uma vistoria no Estabelecimento Penal, onde segundo informações extraoficiais duas celas estavam interligadas, ou seja, um buraco foi feito ligando as celas. Uma fila de visitantes se formou fora do presídio. Uma mãe foi informada do princípio de tumulto e aguardava em frente do estabelecimento penal em busca de informações.

A assessoria da Agepen informou ainda que o Batalhão de Choque vai auxiliar na transferência de algumas detentas envolvidas na confusão. 

Segundo Stropa, a confusão no presídio teria acontecido entre líderes de grupos rivais do Presídio Feminino, com “interesses distintos”. Segundo o diretor, a Agepen instaurará um procedimento para averiguar o ocorrido.

Jornal Midiamax