Polícia

Som alto inferniza vizinhos e dois acabam presos em esquina de ‘rua chique’

Sons instalados em Saveiros também foram apreendidos

Midiamax Publicado em 28/01/2017, às 10h49

None
16402338_10154942345297346_747089745_n.png

Sons instalados em Saveiros também foram apreendidos

Dois jovens, ainda não identificados, foram presos por volta das 6h, deste sábado (28), por pertubação de tranquilidade. Os autores estavam com som alto em duas Saveiros, no cruzamento da Rua Euclides da Cunha, com a Avenida Ceará, no Bairro Santa Fé.

A rua fica em bairro nobre e é considerada uma das mais 'chiques' em Campo Grande, por concentrar estabelecimentos de grife.

Uma equipe da 5ª Companhia Independente da Polícia Militar foi até o local depois de muitas ligações com relatos da bagunça generalizada, pois além do som alto, a polícia encontrou grande movimentação de pessoas.

A concentração do público é próximo de uma conveniência e se estende pelas quatro esquinas da localidade.

As Saveiros, de cores vermelha e prata, com placas HTV-5453 e HCA-2725, respectivamente, possuíam aparelhos de som na traseira, que também foram apreendidos pela polícia.

Eles foram levados à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. A Saveiro prata foi levada ao pátio do Detran/MS, por causa da documentação em atraso.

No momento do flagrante, a PM ressaltou ao Jornal Midiamax que as ligações iniciam na sexta-feira e só terminam no domingo. A polícia informou também que ações como esta deverão ocorrer em outros pontos, para combater esse tipo de crime. 

Responsável por pelo menos cinco ligações para a polícia nesta madrugada, um moradora da região relatou a equipe do Midiamax a rotina cansativa de quem se vê obrigada a aguentar som alto e bagunça durante todos os fins de semana.

A testemunha, que preferiu não se identificar, relatou que a primeira vez que ligou para o 190, eram 2 horas. Sem conseguir dormir por conta do barulho, ela repetiu a denuncia várias vezes, até que às 6 horas os militares ‘acabaram com a festa’. “Cheguei a ligar na conveniência, mas eles me falaram que pedem para diminuir e o pessoal não respeita”.

“É uma bagunça generalizada. Eles deixam garrafa de pinga e camisinhas jogadas. No fim de semana passado, duas meninas tiraram a calça e fizeram xixi na calçada de uma casa”, lamentou a moradora. Nos prédios e casa que cercam a conveniência a reclamação é a mesma. “Essa bagunça vai costuma ir até às 8 horas. Só escuto reclamação”. 

A conveniência próxima do local inaugurou há seis meses, com alvarás e estrutura de funcionamento por 24h, porém, a dificuldade em controle do público antecipa esse horário e o estabelecimento é obrigado a fechar.

Um funcionário, que preferiu não se identificar, disse que a conveniência já estava fechada quando a PM chegou, mas que em dias como este, eles mesmo acionam a polícia. "Nós não conseguimos educar as pessoas, mas a polícia consegue. O único jeito é a polícia. A empresa está dentro dos padrões, mas tem dia que o barulho passa dos limites, igual hoje", relatou.

Multa

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) aprovou, em outubro de 2016, a Resolução n°624, que multa condutores flagrados por causa de som alto dentro veículos. Agora, mesmo que o volume não ultrapasse 80 decibéis, que era permitido, o motorista será multado e penalizado com cinco pontos na carteira. Em Campo Grande, a decisão já está dando o que falar.

Conforme informações do Contran, o agente de trânsito deverá registrar, no campo de observações do auto de infração, a forma de constatação do fato. A infração é considerada grave e, a multa foi reajustada de R$127,69 para R$ 195,23. (Matéria alterada às 9h39 acréscimo de informações)

Jornal Midiamax