Servidor que ameaçou com bomba é chamado ‘El Diablo’ e já foi preso 2 vezes

Mora na casa 666 e anunciou 'ataque' no Facebook
| 18/04/2017
- 19:47
Servidor que ameaçou com bomba é chamado ‘El Diablo’ e já foi preso 2 vezes

Mora na casa 666 e anunciou ‘ataque’ no Facebook

O agente patrimonial que ameaçou explodir o prédio da SAD (Secretaria de Administração e Desburocratização de Mato Grosso do Sul), na manhã desta terça-feira (18), já foi preso duas vezes por dirigir embriagado. Os processos datam de 2010 e 2016 e o servidor teve de pagar fiança para sair da cadeia. Em um dos procedimentos, consta que o apelido dele é “El Diablo” e que mora na casa 666.

A primeira ação indica que a casa do servidor estava situada em uma rua de Campo Grande, no número 51. Cinco anos depois, no segundo procedimento, a casa está na mesma rua, mas a numeração é 666.

No Facebook, o agente patrimonial fez postagens criticando o sistema de meritocracia do governo do Estado de Mato Grosso do Sul e avisou que “estaria no Midiamax”, já anunciando que praticaria um ato que viraria notícia. Nas postagens, ele também se identifica como satanista e reclama ‘de concessão feita a determinadas religiões’.

Servidor que ameaçou com bomba é chamado 'El Diablo' e já foi preso 2 vezesEm junho de 2010, o servidor foi preso após bater na porta do quartel do Corpo de Bombeiros, embriagado e pilotando uma motocicleta. Consta na denúncia que ele perguntou a uma militar onde ficava o 9° Batalhão da Polícia Militar.

A bombeira o aconselhou a procurar atendimento médico e acabou sendo ofendida por “El Diablo”. A militar solicitou reforços e o servidor foi preso, após confessar que havia bebido e ingerido bebidas alcoólicas. Para sair da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), teve de pagar R$ 400.

Na segunda ação, de junho de 2016, o servidor teria se envolvido em uma briga de trânsito e seguiu o outro motorista até um residencial. Ele invadiu o local, causando diversos prejuízos e só parou ao bater em outro veículo.

A polícia foi acionada e constatou que ele conduzia o veículo e com “capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool”. O servidor confesso ter bebido vodka com energético. 

Caso

O agente patrimonial responderá por ameaça após procurar o secretário de Administração Carlos Alberto Assis por volta das 7h30 desta terça-feira (18) no prédio da secretaria no Parque dos Poderes. Segundo servidores, ele estaria armado e com supostos explosivos colados ao corpo.

A assessoria de comunicação do órgão confirmou que Carlos Assis não estava no prédio no momento da abordagem, pois estaria em entrevista em uma rádio de Campo Grande. O agente falou com a recepcionista, que informou que o secretário não estava. Irritado e aparentemente sob efeito de drogas, o agente teria se irritado e levantado a camiseta, mostrando supostos artefatos explosivos e uma arma.

O servidor teria ido embora por conta própria. A Polícia Militar foi acionada e um boletim de ocorrência foi registrado na 3º Delegacia de Polícia em nome do servidor, já identificado, por ameaça. 

Veja também

Apesar do resgate, vítima não conseguiu resistir aos ferimentos

Últimas notícias