Polícia

Secretário promete ‘punição’ a pichadores e mais guardas armados nas ruas

Metas são para segundo semestre do ano 

Midiamax Publicado em 07/06/2017, às 13h43

None

Metas são para segundo semestre do ano 

O secretário municipal de segurança e defesa social Valério Azambuja prometeu uma força-tarefa contra a pichação no próximo semestre do ano em Campo Grande. Segundo ele, um levantamento sobre pontos e horários em que esse tipo de crime acontece está sendo feito para que os autores sejam identificados e punidos.

A meta para a Sesde (Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Social), segundo o secretário, é uma parceria entre Guarda Municipal e Polícia Civil com o intuito de efetuar a prisão dos pichadores da cidade.

Um levantamento sobre os locais com maior frequência de pichação, os horários em que são feitos e também os dias, está sendo feito para otimizar a ação da Guarda Municipal. Todos os pichadores flagrados pelos servidores, serão levados para as delegacias de Polícia Civil da Capital.

Durante a reunião dos secretários do município com o prefeito Marquinhos Trad, na manhã desta quarta-feira (7) para discutir as metas para agosto, Azambuja explicou que esse trabalho já era feito pela secretária, mas que todos os dados foram perdidos e o levantamento precisou ser refeito.Secretário promete ‘punição’ a pichadores e mais guardas armados nas ruas

Ainda conforme Azambuja, entre os planos para o segundo semestre do ano está o armamento de mais 200 guardas municipais. Desde dezembro do ano passado, 100 servidores fazem a segurança das sete regiões da Capital com armas de fogo. O objetivo da secretária é dobrar esse número até o fim de 2017.

Mesmo armados, os guardas ainda não terminaram o curso de capacitação oferecido pelo município, isso porque a carga horário das aulas teóricas e práticas foram aumentadas. “Esse grupo que no dia 19 de dezembro recebeu autorização para uso do armamento, agora no mês de abril e maio o módulo avançado e até o final de mês de junho certificado e dando o porte completo desse armamento”.

De acordo com Azambuja, as aulas têm foco na segurança e capacitação no uso do armamento, como forma de evitar incidentes envolvendo os guardas. 

Jornal Midiamax