Polícia

Preso que ‘batia de frente com PCC’ é espancado até a morte na Máxima

Corpo foi achado após reunião com gritos de ordem da facção

Midiamax Publicado em 05/05/2017, às 16h44

None
0.jpg

Corpo foi achado após reunião com gritos de ordem da facção

Um interno do Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, em Campo Grande, foi espancado e estrangulado no início da tarde desta sexta-feira (5), em Campo Grande. O preso identificado como Manuel Gamarra, de 32 anos, foi encontrado morto por agentes penitenciários depois do banho de sol na galeria do pavilhão 1 da Máxima. Pouco antes da morte, detentos supostamente ligados ao PCC (Primento da Capital) reuniram-se no pátio da penitenciária e entoaram palavras de ordem já conhecidas da facção.

O detento morto, segundo o Jornal Midiamax apurou, seria desafeto da facção, com quem ‘batia de frente”, segundo a apuração.

De acordo com o delegado Geraldo Marim, da 3ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, Manuel cumpria pena por tráfico de drogas e havia sido transferido para o estabelecimento há um mês. O interno foi encontrado pendurado por uma corda no pescoço na laje do pavilhão 1, onde é feito o banho de sol dos presos.

Ainda segundo o delegado, o rosto de Manuel apresentava vários ferimentos, o que confirma a polícia que ele foi espancado e em seguida estrangulado. A Polícia Civil agora deve investigar a participação do preso em um grupo de criminosos dentro do presídio.

“Reunião”

Segundo o boletim de ocorrência, pouco antes de terminar o banho de sol, às 11h20min aproximadamente, os presos da ala B se reuniram na quadra e ecoaram gritos de ordem do PCC, como por exemplo “Um por todos e todos por um. Se Deus é por nós quem será contra nós e por fim PCC PCC PCC”. Na volta do banho de sol, quanto o feito o chamado “confere”, a morte foi do preso foi constata.

“A investigação vai começar a partir da informação de que muitos integrantes do grupo ao qual ele pertencia já foram mortos”, explicou Marim. Conforme apurado pelo Midiamax, Manuel ‘batia de frente’ e oprimia integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) e por isso foi assassinado.

Assista:

(Matéria alterada às 16h21 para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax