Polícia

Preso por 12 estupros caçava vítimas em bairros onde ex-mulher morava

Ele era soropositivo e não usava preservativo 

Clayton Neves Publicado em 26/01/2017, às 20h11

None
d509c809-5f92-45af-a424-73a931bfcdc1.jpg

Ele era soropositivo e não usava preservativo 

Suspeito pelo estupro de 12 mulheres em Campo Grande, Rafael de Souza Leite, de 25 anos, preso nesta quarta-feira (25), foi apresentado na tarde desta quinta-feira (26) por equipe da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher). Conforme informações da polícia, o criminoso escolhia previamente as vítimas, todas com idade entre 18 e 25 anos e praticava ‘estupros itinerantes’, sempre nos bairros para onde a ex-mulher se mudava. Ele era soropositivo e na maioria das vezes não utilizava preservativo durante o crime.

“Os primeiros estupros aconteceram no  Los Angeles onde ele morava com a mulher e dois filhos, depois da separação ela se mudou para o Bairro Aero Rancho e ele passou a fazer vítimas por lá. Em seguida, a ex-mulher foi para o Bairro Ramez Tebet e ele também passou a cometer estupros na região”, explica a investigadora Wanuza Macedo.

A suspeita em cima de Rafael começou porque desde janeiro de 2015 ocorrências de estupro na região do Jardim Los Angeles, em Campo Grande começaram a ser registradas na delegacia da mulher.  Em junho de 2016, uma das investigadoras passou a fazer um levantamento dos boletins registrados, na tentativa de encontrar ligações entre os casos.

Analisando os casos, a investigadora concluiu que a maneira de agir, a faixa etária das vítimas e as características do autor que eram descritas pelas vítimas eram as mesmas. Por causa disso, uma investigação mais detalhada começou a ser feita.

Com uma lista de criminosos abordados pela Polícia Militar na região do Jardim Los Angeles em mãos, os policiais chegaram ao nome de Rafael depois de compararem cada suspeito com as características descritas pelas mulheres abusadas.

Na segunda-feira (23), uma nova vítima procurou a delegacia dizendo que havia sido abordada em um ponto de ônibus por volta das 5h40 no Bairro Portal Caiobá. Para as policiais a mulher contou que foi ameaçada e obrigada a andar até um terreno baldio onde foi abusada sexualmente e teve o celular roubado.

Ao ver uma foto de Rafael a vítima reconheceu o criminoso como autor do estupro. Diante disso ele teve pedido de prisão preventiva acatado pela justiça e foi preso na quarta-feira (25)..

De acordo com a delegada Ariene Nazareth Murad de Souza, titular da Deam, Rafael abordava as vítimas sempre no início da manhã ou no fim da noite, quando as ruas já não estavam mais movimentadas. Geralmente as mulheres eram surpreendidas próximo a pontos de ônibus.

“Ele escolhia as vítimas, fazia uma observação prévia. Em um dos casos, por exemplo, ele invadiu uma casa e pulou o muro porque sabia que a vítima estava sozinha. Lá estuprou e roubou”, explica a delegada.

Pelo fato de ser soropositivo a delegada afirma que é de extrema importância que outras possíveis vítimas de Rafael procurem a delegacia para receber atendimento. “É muito importante que quem sofreu abuso denuncie. Muitas vítimas nos procuram dias após o crime e isso acaba atrapalhando. Na delegacia oferecemos todo suporte necessário”, afirma.

Para a imprensa Rafael negou os crimes e disse apenas que no último caso de que é acusado não havia sido um estupro e sim “um ato”. Questionado se havia consentimento, o suspeito afirmou limitou-se a dizer que “mais ou menos”.

A delegada relata que em 2015 a Deam registrou 111 casos de estupros. Em 2016 o número caiu para 99, tendo uma redução de 11%. Com a prisão de Rafael, quase 100% dos casos de estupro deste ano foram solucionados.

Jornal Midiamax