Polícia

Por suspeita de execução, presos são isolados na Máxima

Seriam membros do Comando Vermelho 

Midiamax Publicado em 08/01/2017, às 22h02

None
agepen22.jpg

Seriam membros do Comando Vermelho 

Dois internos do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande precisaram ser transferidos para áreas de isolamento da unidade depois de sofrerem ameaças de morte, neste domingo (8). Eles seriam membros do Comando Vermelho e estavam na lista de execução do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Conforme apurado pelo Midiamax, a transferência dos internos, de 26 e 35 anos, aconteceu por conta de uma suspeita de execução. Os dois foram realocados e colocados no Pavilhão IV, o mais isolado da unidade.

Os presos, que tiveram os nomes preservados, são do Mato Grosso e seriam membros do Comando Vermelho.  O clima no presídio e tenso desde dezembro, quando integrantes e simpatizantes da facção iniciaram um motim para serem transferidos do local, também por conta de ameaças do PCC.

Durante a semana, áudios que foram enviados por presos foram interceptados e revelaram um suposto ataque na unidade neste domingo (8), mas nenhuma anormalidade foi registrada no presídio durante o dia de visita das famílias. Ainda assim, o clima de tensão permaneceu durante todo o dia.

Segundo as mulheres, o dia de visita foi normal e não houve qualquer movimentação diferente no presídio. No final da tarde, dois carros vistos rondando a região do IPCG (Instituto Penal de Campo Grande) preocuparam as visitantes. O medo era de que os ocupantes de um Gol branco e um Uno preto, realizassem um atentado a elas no ponto de ônibus. Uma equipe da Força Tática da Polícia Militar foi ao local e dar apoio à segurança no local.

Segundo informações apurados pela reportagem, nas primeiras horas de segunda-feira (9), mais de 10 presos seriam transferidos do Presídio de Segurança Máxima para outro estabelecimento penal do Estado. A ação seria uma estratégia para evitar conflitos no presídio.

Jornal Midiamax