Polícia

PMA apreende redes e 198 kg de pescado ilegal em operação

Pescado estava presos aos petrechos

Diego Alves Publicado em 12/08/2017, às 00h44

None

Pescado estava presos aos petrechos

Depois de receber denúncias de pesca predatória em vários rios do município e de Paranaíba, a Polícia Militar Ambiental de Aparecida do Taboado realizou uma operação, iniciada no dia 7 e encerrada ontem (10) à tarde, com duas equipes e apreendeu 93 redes de pesca, além de 198 kg de pescado que estavam presos aos petrechos proibidos.PMA apreende redes e 198 kg de pescado ilegal em operação

Uma equipe realizou fiscalização nos rios Paranaíba, Santana e Barreiro e apreendeu 54 redes de pesca, medindo 3.300 metros. Os infratores que armaram as redes não foram localizados e nem identificados. Foram soltos em torno de 75 kg de peixes vivos que estavam presos às redes e recolhidos 40 kg de peixes mortos, porém, próprios para consumo.

Outra equipe fiscalizou os rios Grandinho e córrego Brandinho e apreendeu 39 redes de pesca, medindo 2.400 metros. Os infratores que armaram as redes também não foram localizados e nem identificados. A equipe soltou 52 kg de pescado e recolheu 31 kg de peixes mortos, porém, próprios para consumo.

Os 71 kg de pescado recolhidos foram doados para duas instituições filantrópicas. O albergue Centro Espirita Joana D’Arque e para o Asilo Lar Vicente Marques de Queiroz.
(PRISÃO) – No dia 9, outra equipe de Policiais de Aparecida do Taboado prendeu quatro pescadores pescando com redes ilegais, apreendeu pescado, barco e motor de popa e autuou os infratores em R$ 2.800,00.

Este tipo de fiscalização é fundamental, pois a retirada desta quantidade de redes ilegais dos rios impede a degradação dos cardumes, tendo em vista o alto poder de captura deste tipo de petrecho. Por isso, a PMA realiza fiscalização rotineiramente, visto que é muito difícil a prisão dos elementos que se utilizam desses petrechos ilegais, em virtude do pouco tempo que levam para armar e conferir os peixes capturados pelas redes, ficando pouco tempo expostos. Mais difícil ainda porque armam normalmente à noite.

Jornal Midiamax