Polícia

Ex-prefeito acusado de mandar matar radialista que o denunciava é preso

Crime aconteceu na fronteira

Renata Portela Publicado em 20/01/2017, às 09h56

None
euricoo.png

Crime aconteceu na fronteira

Na tarde de quinta-feira (19), foi preso Eurico Mariano, ex-prefeito de Coronel Sapucaia acusado de ser o mandante da morte do radialista Samuel Roman. O crime aconteceu em abril de 2004 e teria sido motivado porque o locutor apontava as irregularidades durante o mandato do político.

Eurico foi preso em Capitão Bado, fronteira com Coronel Sapucaia, pelos agentes do Departamento de Delitos Econômicos. Contra ele havia três mandados de prisão, sendo um pelo homicídio. Conforme o site Porã News, no momento da prisão ele estava em uma casa na cidade paraguaia, no Bairro Primavera.

O ex-prefeito pode ser condenado a 17 anos de prisão pelo homicídio, ocorrido no dia 20 de abril de 2004. O locutor fazia várias acusações na rádio, apontando as irregularidades do político. Na época, conforme o site local, Eurico era ligado a uma facção criminosa que atuava na região e teria ordenado a morte do radialista.

Samuel Roman foi executado a tiros por dois pistoleiros. Eurico era sogro do narcotraficante Nery Morel assassinado com o irmão Ramon Morel, por um grupo que seria liderado por Fernandinho Beira-Mar em um ajuste de contas.

O ex-prefeito ficará preso nas dependências da Policia Nacional do Amambay (PY) a espera do pedido das autoridades brasileiras e da decisão do Ministério Publico do estado.

Jornal Midiamax