Polícia

Dupla que matou jovem teria comprado boca de fumo por R$ 1,5 mil

Suspeito se apresentou, mas deve responder em liberdade

Ana Paula Chuva Publicado em 15/09/2017, às 20h30

None

Suspeito se apresentou, mas deve responder em liberdade

Em depoimento à polícia civil, o adolescente envolvido na morte de Naor da Silva do Prado, de 25 anos, afirmou ter montado uma sociedade com o ajudante de eletricista Isaac Mendes da Silva, 19 anos, e que os dois teriam comprado uma boca de fumo por R$ 1,5 mil, no Portal Caiobá. O adolescente está apreendido na Unei (Unidade Educacional de Internação), desde o dia do crime, quarta-feira (13) e Isaac se apresentou nesta sexta-feira (15), na 6ª delegacia de Polícia Civil, do Tijuca.

Isaac chegou à 6ª DP acompanhado de seu advogado Cairo Frazão. Segundo o delegado Walmir Moura Fé, o suspeito optou por permanecer em silêncio, mas apresentou a arma calibre 38 usada no crime.

O adolescente revelou ter comprado da boca de fumo por R$ 1,5 mil,  em sociedade com Isaac. Fato que surpreendeu até o delegado. “Essa é nova. Agora estão comprando até boca de fumo”, disse Moura Fé.

Ainda de acordo com o jovem envolvido, o homicídio foi motivado após recebimento de uma dívida de R$ 50 com uma nota de R$ 100 falsa. Isaac teria devolvido o troco e só depois descobriu a ilegitimidade do dinheiro.

Após a descoberta, a dupla de ‘sócios’ teria seguido até a casa de Naor para tirar satisfação, quando iniciaram uma discussão. Isaac teria sacado o revólver calibre 38 e disparado três vezes contra a vítima.

Naor foi morto em frente à esposa, que revelou ao Jornal Midiamax que no momento em que o autor e o adolescente chegaram o casal estaria comendo pão. Quando foi chamado ao portão Naor teria pedido para que a dupla entrasse e foi quando a discussão teria se iniciado. 

Legítima defesa

Dupla que matou jovem teria comprado boca de fumo por R$ 1,5 mil

Sobre a compra da boca de fumo, o advogado ressaltou que Isaac teria alugado uma casa para morar, pois não tem família na cidade e não para fazer comércio de drogas.

O crime

Naor da Silva Prado foi morto a tiros dentro de sua residência na Rua Acauã, no Jardim Tijuca em frente a esposa. Os autores teriam chegado a sua residência e chamado pela vítima no portão momento em que ele pediu para que entrassem.

Houve uma discussão entre Naor e um dos autores, que cobrava dele o pagamento de uma dívida com uma nota de R$ 50 falsa. A vítima teria negado quando aconteceu a briga sendo feito os disparos por um dos autores, que seria adolescente.

Jornal Midiamax