Polícia

Dois homens são presos com 9 toneladas de agrotóxico contrabandeado do Paraguai

Valor da carga pode chegar a R$ 10 milhões

Ana Paula Chuva Publicado em 12/01/2017, às 18h25 - Atualizado em 09/10/2020, às 12h11

None
whatsapp_image_2017-01-12_at_12.40.46.jpeg

Valor da carga pode chegar a R$ 10 milhões

Durante bloqueio policial na MS 164, policiais do DOF (Departamento de Operações de Fronteiras), prenderam dois homens transportando 9 toneladas de agrotóxicos contrabandeados do Paraguai. A prisão aconteceu na região conhecida como “Copo Suja’ em Ponta Porã, a 346 Km da Capital, na noite desta quarta-feira (11). A carga foi avaliada inicialmente em R$ 3 milhões, mas pode chegar a R$ 10 milhões. 

Carlos Roberto Lemes Sales, 45 anos, residente em Ribas do Rio Pardo seria o motorista do caminhão Mercedes Benz de cor branca, com placas de Rondonópolis.

Durante a vistoria os policiais teriam constatado a carga dos defensivos agrícolas de origem paraguaia e que não teria documentação comprovando a legalidade da importação, configurando assim o contrabando.

De acordo com o DOF, Carlos disse ter sido contratado para pegar o caminhão já carregado em Ponta Porã e levaria até a Capital. Ele receberia R$ 2,5 mil pelo serviço. O motorista ainda contou que recebia instruções no caminho por um rádio amador, de uma pessoa que fazia o serviço de batedor em uma caminhonete de cor branca.

Com essa informação, os policiais realizaram diligencias na área e localizaram próximo ao distrito de Vista Alegre, uma caminhonete Mitsubishi L200 Triton de cor branca com placas de Campo Grande, que estava sendo conduzida por Eugênio Alonso Neto, 69 anos, residente em Ponta Porã. Ele contou que seriao dono do caminhão, porém não soube informar quem seria o proprietário da carga.

Eugênio disse ainda que pelo fretamento receberia um valor aproximado de 40 mil reais, que seriam pagos após a entrega dos defensivos em Campo Grande.

A carga de 9 toneladas foi avaliada inicialmente em 3 milhões de reais, mas o valor pode chegar a 10 milhões segundo delegado responsável pelo flagrante na delegacia de Polícia Federal de Ponta Porã.

Jornal Midiamax