Polícia

Detento tem corda amarrada ao pescoço e sofre tentativa de homicídio em presídio

Presos de outra cela puxavam a corda

Renata Portela Publicado em 25/01/2017, às 11h33

None
elivelton.jpg

Presos de outra cela puxavam a corda

No inicio da tarde de terça-feira (24), o detento Elivelton de Souza Aquino, de 19 anos, sofreu tentativa de homicídio no Presídio de Segurança Máxima de Naviraí, cidade distante 359 quilômetros da Capital. Ele teve uma corda amarrada ao pescoço e foi socorrido por agentes penitenciários.

Agentes penitenciários teriam visto o momento em que a corda artesanal, conhecida nos presídios como ‘tereza’, foi jogada de uma cela para a cela onde estava Elivelton. Segundo o site Tá Na Mídia Naviraí, os agentes foram ver o que estava acontecendo e já encontraram o preso sentado ao lado da grade, com a corda no pescoço.

Ainda conforme o site de notícias local, Elivelton já não apresentava os sinais vitais, mas reagiu ao ter a corda retirada do pescoço e os agentes fizeram massagem cardíaca e o encaminharam ao setor de saúde e posteriormente ao hospital. O preso confirmou que ele estava na cela com outros internos, quando foi empurrado contra a grade e teve a corda colocada no pescoço. Internos da cela vizinha puxavam a corda para enforcá-lo, quando ele desmaiou.

O caso foi registrado na delegacia do município como tentativa de homicídio e deve ser investigado pela Polícia Civil. Elivelton foi preso na madrugada de domingo (22), por disparo e porte ilegal de arma de fogo. Conforme o registro da PM, Elivelton e outro rapaz que estavam em uma moto vermelha ameaçavam um rapaz de 27 anos.

Consta no registro que a dupla portava uma arma e dizia “O Comando Vermelho, sai pra fora que nós vamos te matar”. Elivelton acabou preso em flagrante com o revólver caliber 22. Ele foi reconhecido pela vítima e posteriormente encaminhado ao presídio.

Caso semelhante

No dia 12 deste mês, Cristiano Carvalho de Mello, de 29 anos, foi encontrado morto em uma cela do presídio de Naviraí. Ele foi assassinado com uma corda amarrada ao pescoço, pendurado na grade da cela. Cristiano teria ligação com o PCC (Primeiro Comando da Capital) e chegou a ser apontado com uma das lideranças da rebelião que aconteceu em agosto.

Cristiano foi transferido para Campo Grande após a rebelião, mas retornou para Naviraí e foi morto dois dias após voltar ao presídio. Fontes ligadas a detentos de Naviraí conversaram com o Jornal Midiamax e revelaram que, atualmente, Comando Vermelho e facções coligadas estariam no comando da penitenciária. Segundo as informações, pessoas que trabalham no presídio estariam ligadas a mortes no local e, na terça-feira, Elivelton teria conseguido correr e pedir ajuda para se livrar do enforcamento.

Jornal Midiamax