Polícia

Ao registrar sumiço, amigas descobrem que universitário foi preso por furto

Estudante furtou chocolate e Nutella

Thatiana Melo Publicado em 26/06/2017, às 14h12

None

Estudante furtou chocolate e Nutella

Após o amigo de 21 sumir da cidade de Sonora distante 351 quilômetros de Campo Grande, duas amigas, de 21 e 22 anos, procuraram a delegacia da cidade nesta segunda-feira (26) para registrar um boletim de ocorrência pelo seu desaparecimento.

Quando forneceram o nome do rapaz foi informado a elas que tinha sido preso no dia 21 de junho depois de furtar chocolates em dois supermercados na Capital. Elas foram avisadas que estavam sendo investigadas também pelo crime de receptação, já que revendiam os chocolates furtados.

A jovem confirmou que revendia os chocolates que o rapaz lhe passava e ganhava comissão de 30% com as vendas, mas não sabia que os produtos eram furtados. Ainda disse que ele alegava que o preço era abaixo do valor de mercado por que buscava direto na fábrica.

Ainda de acordo com informações repassadas pelas jovens, o autor trabalhava em uma usina na cidade e teria largado o emprego para se dedicar exclusivamente a venda de chocolates. Quando foi preso, o autor disse que revendia os chocolates para pagar mensalidades da faculdade. Não há confirmação da história contada por ele.Ao registrar sumiço, amigas descobrem que universitário foi preso por furto

A prisão

Na noite do dia  21 deste mês, um acadêmico de 21 anos foi detido e levado para a delegacia de polícia após furtar chocolates de dois supermercados de Campo Grande, que segundo ele seria para pagar a faculdade.

Por volta das 21 horas, funcionários do supermercado Atacadão, na Avenida Costa e Silva acionaram a polícia depois de flagrarem e deterem um jovem que teria furtado chocolates do estabelecimento.

Com a chegada da polícia, o acadêmico confessou o furto e disse que já teria furtado outro supermercado na cidade. No Atacadão ele levou em chocolates o valor de R$ 1.450, já no outro supermercado, Fort Atacadista, o jovem furtou o valor de R$ 600 em chocolates.

Ele disse que revenderia os chocolates e o dinheiro serviria para pagar a mensalidade da faculdade. Quando perguntado onde estava os produtos do furto afirmou ter escondido em um hotel. Ao chegar ao quarto do hotel, a polícia encontrou 11 pacotes de chocolate Bis, 5 potes de Nutella, 15 barras de chocolate Lacta, 1 caixa de Ferrero Rocher e 2 pacotes de bala, sendo os dois últimos produtos pagos pelo acadêmico. O acadêmico foi levado para a delegacia de polícia e autuado por furto.

Jornal Midiamax