Polícia

Universitário que matou segurança no trâansito se diz preocupado com TCC

Ele termina faculdade em novembro

Renata Portela Publicado em 06/05/2016, às 13h02

None
07.jpg

Ele termina faculdade em novembro

Questionado pelo advogado, para dizer ao júri sobre o que pretende fazer após o julgamento, Richard Ildvan Gomide Lima, de 25 anos, diz que quer terminar a faculdade e que está preocupado com a monografia. O rapaz é julgado na manhã desta sexta-feira (6), pela morte de Davi Del Vale Antunes, em acidente de trânsito ocorrido no dia 31 de maio de 2012.

Segundo o rapaz, que cursa último ano de Direito e deve se formar em novembro, ele pretende se formar, trabalhar, constituir família e “seguir em frente”. O rapaz demonstrou preocupação com a monografia que está fazendo e diz que não queria estar ali e queria que nada daquilo tivesse ocorrido.

O estudante ainda disse ao júri “Não é fácil, estou no meio de uma monografia, só quero me formar e colocar um ponto final nisso”. Ele também afirmou que foi um momento falho, que ele se arrepende todos os dias e pediu desculpas ao pai e à família da vítima.

O julgamento

O júri decidirá se Richard será julgado por homicídio doloso ou culposo. Cinco meses após o atropelamento e morte de Davi, a lei que definia o caso como homicídio doloso, quando há intenção, foi alterada. O advogado de defesa pede que a lei retroaja sobre o acusado.

Richard apresentou uma versão diferente dos fatos e afirmou que estava ao celular com a ex-namorada, não viu que o semáforo estava vermelho e acabou atropelando o segurança. Ele ainda afirma que não realizou teste de bafômetro porque policiais militares teriam sido agressivos com ele.

O julgamento teve terminar no início da tarde.

Jornal Midiamax