Polícia

Suposta prisão de policiais de MS no Paraguai foi ‘mal-entendido’, diz PM

Policiais paraguaios teriam, na verdade, ajudado PMs

Thatiana Melo Publicado em 16/03/2016, às 12h09

None
perseguicao.jpg

Policiais paraguaios teriam, na verdade, ajudado PMs

A suposta prisão de policiais militares de Mato Grosso do Sul teria sido um mal-entendido, nesta terça-feira (15). Os policiais do 4º Batalhão da Polícia Militar entraram em perseguição a um veículo Chevrolet Cruzer, próximo ao Distrito de Saiga Puitã depois do motorista ter desobedecido a uma ordem de parada.

Segundo o Comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar de Ponta Porã, Hélio Gauto, toda tentativa de parada do veículo não surtiu efeito, momento em que foi pedido ajuda a central de polícia do país vizinho. “Quando entramos no território paraguaio foi nos dado todo apoio pela polícia local, que fez a abordagem do veículo”.

Ainda de acordo com o comandante tanto os policiais como os ocupantes do veículo foram levados para a delegacia para narrar os fatos ocorridos. Depois de colhida as oitivas o promotor de justiça do país, relatou em uma declaração que a ação dos policiais brasileiros não constituiu nenhum delito.

Segundo a declaração do promotor Sixto Celso Marin, o pedido de ajuda dos policiais brasileiros aos policiais paraguaios foi prontamente atendido e a perícia feita no veículo não encontrou nenhum vestígio de sangue.

Em declaração aos policiais paraguaios, o motorista do veículo teria dito que só fugiu por que não tinha licença para dirigir. “Toda a ação e depoimentos a polícia Paraguai demorou aproximadamente 6 horas, mas os três policiais militares brasileiros foram liberados, posteriormente as oitivas”, finalizou o comandante.

Jornal Midiamax