Polícia

Sejusp espera resolver ‘novela’ do sigo com contrato de R$ 800 mil por mês

Contrato está vencido desde março

Thatiana Melo Publicado em 14/09/2016, às 12h27

None
sigo.png

Contrato está vencido desde março

O secretário da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), José Carlos Barbosa afirmou na manhã desta quarta-feira (14), que espera resolver ainda esta semana a ‘novela’ do sistema sigo, que está fora do ar desde a segunda-feira (12).

De acordo com Barbosinha o contrato estava encerrado desde março, e agora a Sejusp está em fase final de recontratação do serviço com a empresa responsável pelo sigo, “Foi um conjunto de fatores. Dependíamos de um parecer da PGE (Procuradoria Geral do Estado) e ontem (terça), o contrato foi devolvido com algumas observações que estamos resolvendo”, explica sem dar detalhes dos problemas encontrados no contrato.

O secretário ainda afirma que o problema com o sistema seria uma herança  e que precisa ser corrigida, “Quando o Maluf, ex-secretário da Sejusp, estava no cargo ele não teria assinado o contrato por que a empresa estava com as certidões vencidas e quando assumi as certidões estavam resolvidas, mas outros problemas foram encontrados”, fala.

Ainda de acordo com Barbosinha, o contrato com a empresa responsável pelo sistema deve passar de R$ 800 mil por mês.

Em contato com a assessoria de comunicação do Governo nesta terça-feira (13), o contrato já teria sido aprovado na tarde de segunda-feira (12) e seria assinado nesta terça-feira (13) com a volta do sistema.

O sigo

Em operação no Estado desde 2006, o Sigo é um software disponibilizado por uma empresa terceirizada, utilizado pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) para armazenar dados das ocorrências atendidas pela Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e outras unidades de segurança do Estado tendo como objetivo dinamizar o atendimento à população. O Sigo substituiu o antigo modelo de registro de ocorrência manual

Jornal Midiamax