Polícia

Procurador de Justiça aposentado é preso na Capital por estupro de vulnerável

Foi detido pelo Gaeco

Renata Portela Publicado em 24/06/2016, às 14h47

None
zeolla_-_arquivo.jpg

Foi detido pelo Gaeco

Na manhã desta sexta-feira (24), o procurador de Justiça aposentado Carlos Alberto Zeolla foi preso pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), por estupro de vulnerável. O processo corre em sigilo e o caso é investigado pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Segundo informações da polícia, a delegacia especializada já investigava o crime de estupro e fez o pedido de prisão do procurador aposentado, que foi preso nesta manhã. O delegado Paulo Sérgio Lauretto agora aguarda o encaminhamento do preso para a Depca, para que ele seja ouvido em depoimento.

Histórico

Carlos Alberto foi condenado a 8 anos de prisão em regime semiaberto em junho de 2011, pelo homicídio do sobrinho Cláudio Zeolla. O crime ocorreu em 2009 e a vítima tinha 24 anos. Cláudio teria empurrado o avô, Américo Zeolla, ex-combatente de guerra, morto no ano seguinte, em abril de 2010 durante uma discussão sobre o uso de um ventilador.Procurador de Justiça aposentado é preso na Capital por estupro de vulnerável

Após ser empurrado pelo neto, Américo teria caído no chão e machucado as costas e o peito, ferimentos que exigiram que ele fosse encaminhado ao hospital. O procurador teria ficado sabendo e quis 'dar uma surra' no sobrinho, então o aguardou na saída da academia no dia seguinte, armado com o revólver do pai. A vítima foi surpreendida com um tiro na nuca.

O procurador chegou a ficar preso por três dias e foi levado ao hospital, alegando problemas psiquiátricos. No julgamento, o júri entendeu que o réu matou a vítima “motivado por uma forte emoção”. Ele deveria ter permanecido internado no hospital onde, desde o crime, tratava de doença psiquiátrica.

Jornal Midiamax