Polícia

Polícia prende dupla suspeita de envolvimento na execução de Rafaat

Prisões ocorreram nesta sexta

Wendy Tonhati Publicado em 24/06/2016, às 22h12

None
img-20160615-wa0274_copia_2.jpg

Prisões ocorreram nesta sexta

A polícia paraguaia prendeu na tarde desta sexta-feira (24), dois  suspeitos de envolvimento no assassinato de Jorge Rafaat Toumani, no dia 16 deste mês, em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. 

De acordo com o jornal Ultima Hora, foram presos Renato Signoretti y Mario Sergio Amaral Flores. Signoretti, que é brasileiro, seria marido da sobrinha de Jarvis Chimenes Pavão, com quem Rafaat teria uma desavença. 

A dupla estava no mesmo carro utilizado para levar o brasileiro Sérgio Lima dos Santos ao hospital, após ele ser ferido na troca de tiros com os seguranças de Rafaat. 

De acordo com as investigações, Sérgio seria o líder da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e seria quem manejava a metralhadora antiaérea calibre 50, que interceptou o veículo de Rafaat. 

O assassinato ocorreu no dia 16 deste mês e intensificou o conflito entre traficantes brasileiros e paraguaios que disputam o controle pelo tráfico de drogas na fronteira. Rafaat era dono de uma rede de lojas Pedro Juan Caballero, cidade que faz fronteira com o Brasil, e foi executado por homens fortemente armados. A polícia sustenta que a maioria dos envolvidos sejam brasileiros e ligados ao tráfico de drogas.

Execução

Polícia prende dupla suspeita de envolvimento na execução de RafaatO assassinato de Rafaat intensificou o conflito entre traficantes brasileiros e paraguaios que disputam o controle pelo tráfico de drogas na fronteira. Ele era dono de uma rede de lojas Pedro Juan Caballero, cidade que faz fronteira com o Brasil, e foi executado por homens fortemente armados. A polícia sustenta que a maioria dos envolvidos sejam brasileiros e ligados ao tráfico de drogas.

A suspeita é de que os envolvidos tenham ligação com o PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa criada em São Paulo, além do CV (Comando Vermelho) comandado por criminosos do Rio de Janeiro. 

Jornal Midiamax