Polícia

Polícia marca para semana que vem reconstituição de morte de major da PM

Pré-agendamento está marcado para segunda-feira 

Clayton Neves Publicado em 04/08/2016, às 17h53

None
img-20160714-wa0029_1.jpg

Pré-agendamento está marcado para segunda-feira 

A Polícia Civilç fará na semana que vem a reconstituição da morte do major Valdeni Lopes Nogueira, assassinado pela esposa, a tenente-coronel da Polícia Militar Itamara Romero Nogueira no dia 12 de julho. Por requerimento encaminhado à Perícia Técnica, o delegado Cláudio Zotto, da 7ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, pré-agendou o serviço para a próxima segunda-feira (8).

Segundo o delegado, a reconstituição não aconteceu porque a Perícia Técnica ainda não havia concedido liberação. Agora, com o pré-agendamento feito, é preciso que delegado responsável pelo caso e a equipe da perícia sinalizem um “último ok” e confirmem a data.

De acordo com a coordenação de Perícia Técnica, a reconstituição deve acontecer na segunda-feira (8), conforme solicitado pelo delegado Cláudio Zotto em requerimento.

A reconstituição do crime, segundo o delegado, é necessária para que qualquer dúvida sobre como ocorreram os fatos seja esclarecida, já que o motivou que levou a tenente-coronel a atirar no marido ainda é desconhecido. A Polícia ainda tem dúvidas sobre a arma do major e se ele realmente estava indo buscá-la no carro, assim como afirmou Itamara.

De acordo com o advogado de Itamara, José Roberto Rodrigues Rosa, a tenente-coronel não é obrigada a participar da reconstituição.

“Vou conversar com o delegado, ver os pontos que ele ainda tem duvida e se for conveniente para a para defesa ela pode participar”, explicou. Segundo o advogado, a suspeito pode participar da reconstituição se for ajudar a reforçar pontos para a defesa, ao contrário, ela será orientada a naõ participar.

Ainda de acordo com Rosa, a tenente-coronel está de férias da corporação (a mesma que deveria ser usada para viagem em família) e está usando esse tempo para fazer tratamento psicológico.

De acordo com o advogado de Itamara, José Roberto Rodrigues Rosa, a tenente-coronel não é obrigada a participar da reconstituição.

“Vou conversar com o delegado, ver os pontos que ele ainda tem duvida e se for conveniente para a para defesa ela pode participar”, explicou. Segundo o advogado, a suspeito pode participar da reconstituição se for ajudar a reforçar pontos para a defesa, ao contrário, ela será orientada a não participar.

Ainda de acordo com Rosa, a tenente-coronel está de férias da corporação (a mesma que deveria ser usada para viagem em família) e está usando esse tempo para fazer tratamento psicológico.

Jornal Midiamax