Polícia

Polícia investiga se carro de ex-vereador executado foi levado para o Paraguai

Investigações estariam 'avançadas'

Midiamax Publicado em 22/09/2016, às 20h02

None
print_carro_corpo.jpg

Investigações estariam 'avançadas'

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul acredita que o veículo Land Rover do ex-vereador Alceu Bueno, encontrado morto nesta quarta-feira (20), no Jardim Veraneio, em Campo Grande, tenha sido levado para a fronteira com o Paraguai pelos bandidos. A informação foi dada nesta tarde pelo delegado-geral da Corporação, Marcelo Vargas. De acordo com ele, há seis linhas de investigação para o caso, cujas investigações, afirmou, estão 'avançadas', mas não detalhou a que ponto.

Vargas disse que é prematuro falar em queima de arquivo, suspeita que surgiu logo após o crime, dadas as características. O ex-vereador, segundo as apurações da perícia, foi morto por estrangulamento e teve o corpo queimado. Apenas parte de um dos braços foi preservada, permitindo a identificação ainda no dia em que o cadáver foi localizado.

De acordo com o delegado, tudo indica, até agora, que o veículo da vítima tenha “tomado o rumo da fronteira”.

Até o local onde o corpo foi desovado indica isso, explicou. Não é um local comumente usado para isso e, nesse caso, conforme Marcelo Vargas, sugere ter sido uma questão de “logística”, pois, dali, os bandidos já teriam seguido rumo à fronteira sul.

O bairro fica perto do anel viário, que dá acesso à BR-163, um dos caminhos possíveis para a fronteira do Brasil com o Paraguai.

Motivação

Peritos voltaram hoje ao local onde o corpo foi achado e, segundo informou o secretário de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, mais conhecido como Barbosinha, o foco das investigações é saber a motivação do crime.

O fato de o corpo ter sido queimado, segundo o delegado Marcelo Vargas, é um dos maiores pontos de interrogação. Normalmente, casos assim envolvem queima de arquivo, ou seja, o assassinato para evitar que a vítima revele informações que saiba sobre algum crime, mas o policial diz que ainda não há como afirmar isso.

Bueno estava envolvido em um escândalo de exploração sexual infantil, que o levou à renúncia no ano passado.

O diretor-geral da Polícia Civil reforçou que imagens captadas por câmeras de segurança estão sendo usadas como parte das investigações. Em uma delas, foi possível ver dois homens incendiando o corpo e deixando o local no carro do ex-vereador.

Responsável pelo caso, o delegado Edilson dos Santos, do Garras (Delegacia de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) informou ontem durante coletiva que também seria solicitada a quebra do sigilo telefônico de Alceu Bueno, para verificar com quem foram seus últimos contatos.

A família falou com ele pela última vez, segundo divulgado, na terça-feira às 21h30, depois que ele saiu do depósito de material de construção do qual era dono.

Funeral

O sepultamento dos restos mortais de Alceu Bueno foi realizado nesta manhã, no cemitério Parque Campo Grande. Ninguém da família quis conversar com a imprensa. O caixão estava fechado e sobre ele, havia uma foto do ex-vereador.

Jornal Midiamax