Polícia

Polícia identifica falha na segurança de banco roubado por dupla de terno

Cinco meses depois, nenhum suspeito foi preso

Midiamax Publicado em 20/10/2016, às 22h42

None
foto1_36.jpeg

Cinco meses depois, nenhum suspeito foi preso

Durante as investigações sobre o roubo de quatro malotes da agência do Banco do Brasil, localizada na Avenida Afonso Pena, a polícia descobriu falhas no sistema de segurança da unidade que podem ter facilitado a ação dos bandidos. O crime aconteceu no dia 17 de maio, quando dois homens chegaram ao local vestidos com ternos e portando crachás, renderam funcionários e levaram o dinheiro.

Nesta quinta-feira (20), pouco mais de cinco meses depois do roubo, o delegado Edilson dos Santos afirmou que as equipes do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), continuam com as diligências para identificar os suspeitos pelo crime.

Na data, os bandidos se passaram por funcionários, até conseguirem chegar à sala do cofre. Durante o percurso, a dupla passou, mesmo armada, pela porta giratória e também por câmeras de segurança, sem ser notada pelos servidores do local. Até o momento, segundo o delegado, foram detectados três falhas no sistema de segurança do banco.

A agência foi informada dos erros e já fez a manutenção dos equipamentos. Conforme a assessoria de Polícia Civil, o valor levado pelos bandidos no dia do assalto não foi revelado a pedido do Banco do Brasil. Nenhum suspeito foi preso e a polícia trabalha na identificação dos autores.

O CASO

Depois de passarem pela porta giratória, os autores foram até a sala da tesouraria onde fica o cofre, renderam o segurança e três funcionários. De acordo com a polícia, os malotes estavam em frente ao cofre e após ter acesso ao dinheiro, eles trancaram os quatro na sala e fugiram, fazendo o mesmo caminho até sair pela porta da frente do banco.

Na época, o delegado não descartou que os criminosos tinham informações privilegiadas sobre a rotina da agência, já que sabiam chegar até a sala em que os malotes estavam, e de que outras pessoas teriam dado apoio à fuga. Essa informação não foi comentada pelo delegado novamente.

 “Os dois já sabiam onde estava o cofre do banco, a princípio já tinham a informação que hoje iria chegar quatro malotes com dinheiro. Os malotes ainda estavam na frente do cofre”, disse Edilson no dia do roubo. Mesmo armados, os suspeitos ainda fugiram com um revólver calibre 38 que pegaram do segurança rendido na ação. 

Confira o vídeo:

Jornal Midiamax