Polícia

Polícia flagra 691 ‘paradinhas’ de cocaína em centro comunitário da Capital

A droga estava escondida debaixo de uma pedra

Gerciane Alves Publicado em 01/03/2016, às 17h39

None
policia_ilustrativa-gw.jpg

A droga estava escondida debaixo de uma pedra

Policiais do SIG (Setor de Investigação Geral) da Polícia Civil de Campo Grande, apreenderam na noite desta segunda-feira (29) 691 “paradinhas” de pasta base de cocaína no Bairro Tijuca, região sudoeste de Campo Grande. A droga estava escondida debaixo de uma pedra no terreno do antigo centro comunitário do bairro.

De acordo com informações policiais, o SIG já investigava há algum tempo o tráfico de drogas na região e em especial um homem identificado apenas como Marcelo e conhecido como Cabrito, que segundo apurado utilizava um veículo Fox de cor branca para entregar drogas para “aviõezinhos”, que são garotos que levam a droga para os clientes.

Nesta segunda-feira, durante monitoramento, por voltas das 20 horas, os policiais viram o momento em que o o veículo parou no sinaleiro e várias pessoas se aproximaram. O motorista então passou uma quantidade de drogas para uma das pessoas que em seguida se dispersaram. Logo depois que as pessoas se afastaram o condutor teria estacionado o carro e entrado em uma residência.

Dentro da residência os policias encontraram além do Marcelo, um adolescente com sua mãe. O adolescente estava com R$ 15 e algumas moedas e em uma gaveta do armário da coxinha, os policias encontraram aproximadamente R$ 2.100. Ainda segundo o registro, a casa é da mãe do adolescente e era usada para guardar o dinheiro oriundo do tráfico de drogas. Na casa do jovem foram encontrados ainda R$ 434 em moedas.

A polícia em seguida passou a fazer buscas no antigo entro comunitário do bairro, onde encontrou debaixo de uma pedra 691 “paradinhas” de pasta base de cocaína. Os policiais tomaram conhecimento ainda que os traficantes trabalhavam em escala, cada um com horário definido para a venda e escondiam a droga no local.

O adolescente confessou que vende drogas para o Marcelo e que recebe entre 400 e 500 paradinhas as segundas, quartas e sextas sempre por volta das 20 horas. Neste mesmo horário, segundo o adolescente, também recebia o dinheiro arrecadado com o tráfico. Todos foram encaminhados junto com a droga, dinheiro e alguns aparelhos adquiridos com dinheiro da droga para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Piratininga.  

Jornal Midiamax