Polícia

Pedreiro planejou assassinato de idoso para roubar dinheiro e carro

Vítima foi morta a marretadas

Thatiana Melo Publicado em 13/09/2016, às 13h25

None
img-20160913-wa0017.jpg

Vítima foi morta a marretadas

O pedreiro Paulo Esmael Miranda, de 39 anos teria planejado a morte do idoso Rubens Alegria, de 64 anos para roubar dinheiro e o carro da vítima. O idoso foi assassinado no dia 6 de junho, a mulher a e filha encontraram Rubens morto na casa em que morava, em Campo Grande.

Paulo foi preso no dia 8 de setembro caminhando próximo a casa onde mora, no Bairro Coophasul. Em depoimento ao delegado Reginaldo Salomão, da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), o autor teria dito que um dia antes do crime foi até a casa do idoso com a intenção de rouba-lo, mas não o encontrou.

No dia seguinte, Paulo voltou e teria dito a Rubens que teria sido contratado para fazer a reforma da calçada, da vila de casas, na Avenida Marechal Deodoro, local onde o idoso era síndico.

Rubens teria autorizado e ao virar as costas foi surpreendido com dois golpes de marreta na cabeça por Paulo, que colocou o corpo do idoso dentro do veículo Chevrolet Celta levando para o interior da residência o trancando no local.

Da casa Paulo levou R$ 500 e o carro da vítima. “Em depoimento ele (Paulo) disse que esperava encontrar na casa pelo menos de 5 a 6 mil, mas só tinha encontrado R$ 500”, fala Salomão, que revelou que o autor em momento algum mostrou arrependimento se mostrando uma pessoa fria.

De acordo com informações, o idoso teria o costume de contar dinheiro no meio da rua, em frente às pessoas, o que despertou o interesse do autor em rouba-lo. No dia do crime, Paulo teria escondido o veículo roubado em um matagal próximo a sua casa e depois voltado para buscar.

O autor teria usado o veículo para ir até uma boate, onde contratou os serviços de uma moça, gastando todo o dinheiro com bebidas. Segundo informações, Paulo teria sido preso seis meses antes do crime por furto, mas liberado dois dias depois de uma audiência de custódia.

Relembre o crime

Na manhã do dia 6 de junho, mulher e filha encontraram Rubens Alegria, de 64 anos, morto na casa da família, localizada na Avenida Marechal Deodoro, no Amambaí. A residência fica em uma vila de casas e o local foi isolado pela polícia.

Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Polícia Civil foram acionadas pela mulher e pela filha de Rubens. Elas contam que, ao chegarem na casa, que estava trancada, puderam ver pela janela o homem já sem vida. As testemunhas também notaram uma marca de disparo de arma de fogo na parede e há suspeita de latrocínio, roubo seguido de morte.

De acordo com os policiais militares, o local foi isolado até a chegada da Perícia, para que a casa possa ser aberta. O carro da família, um Celta prata, 'desapareceu' da garagem, por isso há suspeita de que tenha sido roubado. Vizinhos e possíveis testemunhas devem prestar depoimento à polícia.

Jornal Midiamax