Polícia

Mulheres são presas suspeitas de traficar adolescentes para prostituição

Adolescentes fugiram da boate

Thatiana Melo Publicado em 12/02/2016, às 14h47

None
prostituicao.jpg

Adolescentes fugiram da boate

Foram presas nesta quinta-feira (11), três mulheres acusadas de traficar adolescentes paraguaias para a prostituição em Maracaju, cidade localizada a 162 quilômetros de distância de Campo Grande.

Nereide Ferreira Buchmann, de 48 anos, Lilian Pires dos Santos, de 37 anos e Luciana Amaral Gomes, de 39 anos foram presas após que duas adolescentes, de 16 e 17 anos, fugiram da boate depois de chegarem ao local e serem informadas que não trabalhariam em um restaurante e sim como prostitutas.

Segundo informações do site Fátima News, as adolescentes foram levadas da cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na última terça-feira (9) com a promessa de que iriam trabalhar em um restaurante. Para escapar das mulheres, as adolescentes afirmaram que estavam menstruadas e que não poderiam fazer programas, pedindo para ir até uma farmácia quando foram pedir ajuda a Polícia Militar e ao Conselho Tutelar.

De posse das informações, a equipe policial foi até a boate e localizou as mulheres no estabelecimento que negaram realizar exploração sexual de menores. Na residência onde funciona a boate, os policiais ainda encontraram mais duas adolescentes paraguaias que afirmaram fazer programas no local.

A polícia ainda encontrou em um dos quartos da boate documentos falsos as meninas para que pudessem se passar por brasileiras e maiores de idade. As mulheres confirmaram ter levado as meninas, mas para trabalhar como garçonetes e que desconheciam que seriam menores de idade.

As mulheres ainda negaram que mantinham as adolescentes em cárcere privado. O trio foi preso e responderá pelos crimes de exploração sexual, favorecimento à prostituição e cárcere privado.

Jornal Midiamax