Polícia

Menino de 3 anos morto em incêndio pode ter iniciado fogo com isqueiro

Objeto foi encontrado no quarto

Renata Portela Publicado em 02/09/2016, às 14h04

None
incendio2.jpeg

Objeto foi encontrado no quarto

Perícia encontrou um esqueiro no quarto onde estava o menino de 3 anos, que morreu em um incêndio em casa na noite do dia 28 de agosto, no Bairro Campo Verde. O incêndio resultou na morte do garotinho e o irmão, um bebê de apenas 7 meses, e é investigado pela Polícia Civil.

O delegado Weber Luciano de Medeiros, titular da 2ª Delegacia e responsável pelas investigações, disse ao Jornal Midiamax que o isqueiro foi localizado no quarto onde a criança estava. A mãe do menino confirmou que tinha um isqueiro na residência, mas afirmou não saber onde o objeto estava no dia do incêndio.

No quarto onde estava o garoto também havia vários materiais inflamáveis como plásticos, espuma, colchões e até um fogão e botijões de gás. O laudo de uma empresa engarrafadora de gás constatou no entanto que os botijões não explodiram. Até o momento, as investigações indicam que o menino teria brincado com o isqueiro e ateado fogo na casa.

Familiares da criança chegaram a relatar que o menino gostava de fogo e, sempre que via, queria brincar. O caso continuará sendo investigado e pode levar ao indiciamento dos pais dos meninos por negligência.

O incêndio

O fogo começou na noite de domingo (28) e apenas as crianças estavam dentro da residência. Assim que os pais notaram o incêndio, as chamas já estavam altas. Eles tentavam controlar o fogo e, no desespero de salvarem os filhos, queriam entrar na casa. Os pais precisaram ser contidos pelos bombeiros, que chegaram em seguida.

Apesar dos esforços de vizinhos e Corpo de Bombeiros, as crianças não foram socorridas com vida. O incêndio tomou conta da residência, que foi totalmente destruída pelo fogo, que teria começado em um botijão de gás. A bisavó dos meninos ainda lembrou ter ouvido três explosões, que ela imagina terem sido de dois botijões e também do gás da geladeira.

Os pais das crianças chegaram a serem levados para a UPA e só depois ficaram sabendo da morte dos filhos. Perícia esteve no local e deve encaminhar laudo para a Polícia Civil, que investigará o caso e o que pode ter dado início ao incêndio.

Jornal Midiamax