Polícia

Mãe que deixou bebê prematuro morrer para ir ao pagode tem prisão decretada

Bebê morreu no domingo

Thatiana Melo Publicado em 29/01/2016, às 11h23

None
delegacia_de_corumba.jpg

Bebê morreu no domingo

Gilson Gonçalves, vulgo “Cunhé”, de 20 anos e Lorraine Guimarães Torres, de 18 anos tiveram a prisão preventiva decretada, pelo juiz da 1º Vara Criminal de Corumbá, distante 444 quilômetros de Campo Grande.

A decisão do juiz André Luiz Monteiro foi determinada no fim da tarde de quarta-feira (27), determinando que a autuação em flagrante fosse convertida em prisão preventiva. A Polícia Civil deve encaminhar Lorraine para o presídio feminino e os dois homens, o pai da criança e o irmão Elton Gonçalves, para o presídio masculino.

A mãe da criança foi indiciada por homicídio doloso, por que assumiu o risco de provocar o resultado da ação, já que teria sido orientada a não tirar o bebê da maternidade e alimentá-lo pela sonda. Já o pai e o irmão foram autuados por tráfico de drogas, mas Gilson também responderá pela morte do bebê.

A criança, que nasceu com sete meses, morreu após a mãe ter retirado a sonda que a alimentava. Pelo exame da necropsia, o bebê morreu asfixiado pelo próprio vômito, porque não tinha ainda capacidade de deglutição. O caso que aconteceu no bairro Cervejaria gerou comoção na cidade.

O caso

A polícia foi acionada depois de denúncias, e encontrou Lorraine Guimarães Torres, de 18 anos, em uma lanchonete embriagada e andando de um lado para o outro, enquanto o corpo da filha prematura estava em cima de um freezer, o fato aconteceu na segunda-feira (25).

Uma testemunha afirmou que a criança morreu depois que a mãe a deixou com uma vizinha, sem a sonda para alimentá-la para ir a uma casa de pagode no domingo (24). Ao voltar, a mãe encontrou o bebê morto e dormiu com a criança morta e o marido, vindo na segunda-feira (25) a perambular pelas ruas com o bebê morto no braço, chegando até uma lanchonete onde a polícia foi acionada.

A mulher tinha dito que o marido é que tinha matado a criança. Por conta disso, a Polícia Civil fez cerco na casa e encontrou o homem na residência com seu irmão. Ao avistar os policiais, o irmão do marido da mulher jogou pela janela um saco de fraldas contendo 143 papelotes de pasta base de cocaína. Os dois foram presos em flagrante por tráfico de drogas.

*Com informações site Diário Corumbaense

Jornal Midiamax