Polícia

Justiça mantém preso suspeito de matar a mulher que teve corpo achado 5 dias depois

Ele nega o crime

Midiamax Publicado em 02/09/2016, às 20h42

None
img-20160901-wa0133-editada.jpg

Ele nega o crime

O principal suspeito da morte de Luana de Campos Gracco, de 22 anos, teve a prisão preventiva decretada nesta sexta-feira (2). O ex-marido da jovem, Gelvio Nascimento Rosseto, de 26 anos, foi preso na manhã desta quinta-feira e hoje teve o flagrante convertido durante audiência de custódia.

O caso é investigado pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) e é tratado como feminicídio. De acordo com a delegada Priscilla Anuda Quarti, com as provas colhidas no local do crime, não há dúvidas de que Gelvio tenha assassinado a estudante, mesmo ele negando o crime nos depoimentos.

Novas testemunhas devem ser ouvidas nos próximos dias e a polícia espera os laudos feitos no local e também no corpo da jovem para identificar as lesões e também se a jovem sofreu crime sexual.

Luana foi morta no sábado (27), depois de uma briga com o marido. Vizinhos relataram que ouviram barulho de vários objetos quebrando na residência. Ainda assim, a jovem só foi encontrada cinco dias depois, quando preocupada com o sumiço da vítima,uma amiga foi até a casa, pulou o muro e encontrou o corpo já em estado de decomposição.

Na casa também foi encontrada uma tábua de carne com fios de cabelo e sangue, que teria sido usada no crime.

Os amigos descrevem o relacionamento do casal como tumultuado, marcado por várias brigas e discussões. Porém, afirmam que Luana nunca teria dito sofrer agressões físicas.

Uma amiga chegou a confirmar a equipe do Jornal Midiamax, que Gelvio era usuário de drogas, mas que ele não vendia drogas.  Ele chegou a ser preso por tráfico de drogas, mas foi desqualificado para consumo.

Jornal Midiamax