Polícia

Jovem que executou adolescente paraplégico diz que era ameaçado pelas redes sociais

Ambos tinham uma extensa ficha criminal

Midiamax Publicado em 28/01/2016, às 22h23

None
coxim_facebook.jpg

Ambos tinham uma extensa ficha criminal

Wellington André Rodrigues dos Santos, de 21 anos, foi preso nesta quinta-feira (28) acusado de ter executado a tiros o adolescente Ozéias Teixeira Vicente, de 17 anos, nos fundos de uma casa no Bairro Pequi I, em Coxim. Ele confessou o crime e disse que o motivo era as constantes ameaças que sofria pelas redes sociais.

Ozéias morreu na manhã de hoje depois de levar um tiro na cabeça. Ele foi encaminhado ao hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo testemunhas, o rapaz chegou armado com um capacete na cabeça e descarregou o revólver no adolescente.

Depois de rondas no bairro, o SIG (Serviço de Investigação Geral) da Polícia Civil encontrou o acusado do crime. Ele foi preso e encaminhado a delegacia de Polícia Civil, onde foi ouvido.

Wellington disse que sofria constantes ameaças de Ozéias nas redes sociais. Em uma das ameaças, pelo Facebook, o adolescente escreveu que ia matar os filhos e esposa do autor.

O rapaz ainda disse ao Coxim Agora que Ozéias ligou para ele durante esta manhã e provocou. Foi então que Wellington pegou um revólver calibre 38 e foi até o local que Ozéias tinha dito que estava. Assim que ele viu a vítima sentado na cadeira de rodas, disse: “eu vim acertar aquela dívida”, em seguida, realizou quatro disparos contra o adolescente.

Testemunhas viram Wellington saindo em um Corsa prata. O autor ainda disse que foi até a praça do Flutuante, enrolou o revólver na camiseta que estava vestido e jogou no Rio Taquari.

Menos de uma hora depois, ele foi preso em flagrante e encaminhado para a 1ª DP de Coxim, onde foi indiciado por homicídio doloso qualificado por motivo torpe e por não ter dado chance de defesa para a vítima. A polícia agora tenta localizar o condutor do carro que ajudou a dar fuga ao autor.

Outro motivo levantada pela Polícia Civil seria 'acerto de contas' pela morte de um amigo de Wellington em 2015. Em setembro do ano passado, Ozéias atirou contra o jovem de 23 anos em frente a Escola Estadual Padre Nunes.

Assim como Wellington, o adolescente também tinha várias passagens pela polícia por tentativa de homicídio, tráfico de drogas e assaltos. Ele ficou paraplégico após ser esfaqueado em novembro de 2015 depois de se envolver em uma briga em São Gabriel do Oeste.

Jornal Midiamax