Polícia

‘Já trabalhei com traficantes’: suspeito desacata PMs após invadir casa

Foi detido em flagrante

Renata Portela Publicado em 08/05/2016, às 11h38

None
delegacia_tres_lagoas.jpg

Foi detido em flagrante

Na noite de sábado (7), por volta das 20 horas, homem de 32 anos foi detido por agredir moradores do Jardim Primaveril, em Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros da Capital. As vítimas seriam a proprietária da quitinete onde o autor morava e um casal de vizinhos. Durante a prisão, o suspeito ainda desacatou policiais.

Conforme o boletim de ocorrência, registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), a vítima de 52 anos, que é proprietária da casa onde ocorreram os fatos, conta que por volta das 19h45 o ex-inquilino da quitinete localizada aos fundos, homem de 32 anos, foi ao local. Ela afirma que o suspeito pediu para entrar e ela negou, mas acabou abrindo o portão após ele dizer que queria ver se havia deixado algum pertence na quitinete.

Segundo a mulher, assim que abriu o portão ela foi agredida pelo ex-inquilino, que a puxou pelos cabelos e ainda a feriu com murros. As agressões só teriam parado após intervenção de populares. Ao sair da casa, o suspeito ainda invadiu a residência vizinha, onde moram um homem de 36 anos e a esposa, grávida de 8 meses. Segundo o morador, assim que o suspeito entrou na casa, sem consentimento, ele e alguns amigos que estavam no local pediram que ele saísse, mas ele se negou.

De acordo com o morador, o suspeito se demonstrou agressivo e ainda disse que mataria todos ali. Os policiais localizaram o homem de 32 anos, que foi detido e levado para a Depac. Durante a elaboração do boletim de ocorrência, o suspeito ainda disse aos policiais “Eu não sou bandido, vocês só estão me prendendo porque acham que estando nessa 'fardinha' vocês se acham mais homem que eu” e também “Vocês vão ver, conheço toda a malandragem, eu já trabalhei com traficantes que só com um telefonema daria um tiro na cara de vocês, trabalhei com o 'espingardinha', em uma semana vocês perderão suas fardas porque minha prima é delegada”.

O caos foi registrado como lesão corporal dolosa, desacato, ameaça e invasão de domicílio.

Jornal Midiamax