Polícia

Investigação deve apontar latrocínio na morte de ex-vereador Alceu Bueno

Informação é do secretário de Segurança, José Barbosa

Thatiana Melo Publicado em 29/12/2016, às 14h37

None
funeraria3editada.jpg

Informação é do secretário de Segurança, José Barbosa

As investigações devem apontar latrocínio para elucidar a morte do ex-vereador Alceu Bueno, que teve o corpo encontrado parcialmente incinerado no dia 21 de setembro, na região do Parque dos Poderes, em Campo Grande. Como ele estava implicado em escândalo sexual que envolveu outros políticos, a principal suspeita desde o início era de queima de arquivo.

No entanto, apesar de o carro dele ter sido encontrado queimado próximo à fronteira com o Paraguai, poucos dias depois do assassinato, os indícios apontariam para um caso de latrocínio, segundo o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa.

Barbosinha disse ao Jornal Midiamax, que as três pessoas presas nesta quarta-feira (28), dois homens e uma mulher, seriam conhecidas do ex-vereador, mas não revelou a ligação que teriam com ele. “Os indícios são de latrocínio”, disse.

Informações preliminares são de que um dos suspeitos teria envolvimento com o ex-vereador que teria motivado a articulação e execução do crime. A Policia Civil não confirma e marcou para a tarde desta quinta-feira (29) uma coletiva com informações do caso.

Carbonizado em frente a Câmera

O corpo de Alceu Bueno foi encontrado com sinais de estrangulamento e carbonizado, no Jardim Veraneio, em Campo Grande. Imagens de câmeras de segurança, de um condomínio que fica na região, mostraram o momento em que o corpo foi abandonado e em seguida se vê um clarão, momento em que Alceu Bueno é carbonizado.

Ao lado do corpo localizado um celular idêntico ao do ex-parlamentar e pinos de metais no braço do cadáver. Também foi encontrado, junto ao corpo carbonizado, distintivo semelhante ao que Bueno usava quando parlamentar.

O carro do ex-vereador, uma Land Rover Freelander, foi encontrado no dia 23 de setembro incendiado, em Ponta Porã. O carro estava destruído e sem placas.

Exploração Sexual 

José Alceu Padilha Bueno foi eleito em 2012 e renunciou em 2015 depois de ter sido flagrado em um motel com duas adolescentes, com menos de 18 anos. Ele foi indiciado por ‘favorecimento à prostituição ou de outra forma de exploração sexual de vulnerável’. Imagens de um vídeo no qual o ex-vereador aparecia com as garotas no motel chegaram a ser divulgadas à época.

Bueno alegou que era vítima de um esquema de extorsão, assim como o ex-deputado estadual Sérgio Assis, também flagrado no motel com as adolescentes. Três pessoas, Fabiano Viana Otero, Luciano Pageu e o ex-vereador Robson Martins, foram presos pelo crime.

Jornal Midiamax