Polícia

Inquérito sobre a morte de major da PM deve ser concluído na próxima semana

Crime aconteceu no dia 12 de julho

Thatiana Melo Publicado em 22/10/2016, às 16h44

None
itamara.jpg

Crime aconteceu no dia 12 de julho

O inquérito sobre a morte do major da PM, Valdeni Lopes Nogueira deve ser concluído na próxima semana, segundo o delegado que cuida do caso Cláudio Zotto, da 7º delegacia de polícia civil de Campo Grande.

De acordo com Zotto faltam apenas alguns detalhes para a conclusão do caso. O crime aconteceu no dia 12 de julho, na residência onde o casal morava, na Avenida Brasil Central, no Bairro Santo Antônio.

Uma reconstituição do assassinato foi feita, no dia 18 de agosto para esclarecer dúvidas sobre como ocorreram os fatos, e o motivo que teria levado a tenente-coronel a atirar no marido.

A reconstituição

A reconstituição do crime aconteceu na manhã do dia 18 de agosto, na residência onde o casal morava, na Avenida Brasil Central, no Bairro Santo Antônio, e teve cinco momentos com a ligação para o 190, a chegada da Policia Militar, do Corpo de Bombeiros, do sub-comandante do policiamento da área e a versão da tenente-coronel.

A reconstituição começou com a cena da discussão do casal, em seguida a da agressão física. A tenente-coronel teria caído no chão e, mesmo ali, recebido golpes do marido, que após agressões verbais, teria ido em direção a seu veículo para buscar uma pistola, momento em que a tenente-coronel teria feito dois disparos contra o major.

Relembre o caso

O caso aconteceu na residência do casal, na Avenida Brasil Central no Bairro Santo Antônio, no dia 12 de julho. Segundo a polícia, os dois militares teriam se desentendido e durante a briga a tente-coronel da Polícia Militar efetuou dois disparos contra do marido, um deles atingiu o tórax da vítima. O Corpo de Bombeiros foi acionado e encaminhou o major para Santa Casa.

Depois do crime, a policial permaneceu dentro da residência ameaçando cometer suicídio. Familiares de Itamara, a advogada e o comandante do 1º BPM (Batalhão da Polícia Militar), major Ajala, foram até o local e conseguiram negociar para que ela se entregasse.

Jornal Midiamax