Polícia

Fronteira: morte de brasileira na frente dos filhos de 5 e 8 anos seria queima de arquivo

Foi assassinada a tiros

Renata Portela Publicado em 01/09/2016, às 15h09

None
josiane.jpg

Foi assassinada a tiros

A execução de Josiane Vanessa Zilio, de 32 anos, em Pedro Juan Caballero na tarde de quarta-feira (31), pode ter sido uma 'queima de arquivo', aponta a imprensa paraguaia. O chefe de Ordem e Segurança do Estado de Amambay, Miguel Ayala, reafirmou o possível relacionamento da brasileira com um segurança de Jorge Rafaat Toumani.

Ao jornal ABC Color, Ayala pontuou que ainda não há informações concretas sobre o homicídio, mas que Josiane foi vítima de uma emboscada. Na casa em que ela foi assassinada não há câmeras de segurança, portanto o crime não teria sido filmado. A polícia nacional busca imagens do circuito de segurança de alguma residência nas proximidades.

Segundo o comissário, Josiane chegou em casa de carro e após entrar na garagem não fechou o portão. Logo em seguida outro veículo entrou e dois homens desceram, atirando contra ela. Os filhos da vítima, de 5 e 8 anos, e também uma empregada estavam na residência. No entanto, quando a funcionária ouviu o barulho e correu até a garagem, encontrou Josiane já sem vida e viu os suspeitos fugindo.

Ayala ainda afirmou que há a informação de que Josiane teria relacionamento com um segurança de Rafaat, mas disse que tudo será investigado. Este homem teria fugido de Amambay após a morte do 'patrão'. “Ele supostamente não se encontra por aqui. Desde o atentato contra Rafaat, esse sujeito desapareceu”, disse o comissário.

O caso segue em investigação pela polícia paraguaia.

Jornal Midiamax