Polícia

Flagrados com droga em viatura de quartel do MS seguem presos em SP

Militares usaram caminhão das Forças Armadas para transportar a droga

Celso Bejarano Publicado em 05/09/2016, às 13h54

None
caminhaoexercito2.jpg

Militares usaram caminhão das Forças Armadas para transportar a droga

Detidos com cerca de três toneladas de maconha transportadas de Mato Grosso do Sul, num caminhão do Exército, que seguiram até Campinas, interior de São Paulo, os três cabos lotados no 20º (RCB) Regimento de Cavalaria Blindado, em Campo Grande (MS), permanecem detidos num presídio de Osasco, município da região metropolitana da capital paulista.

As investigações acerca do esquema de tráfico de droga implicando os militares são mantidas em sigilo, contudo, a assessoria de imprensa do CMO (Comando Militar do Oeste) informou que no final da tarde desta segunda-feira (5), vai divulgar nota sobre o assunto.

Restam muitas dúvidas a respeito da estratégia adotada pelos militares, que permitiu que eles saíssem do quartel do 20º RBC, a bordo do caminhão, cruzassem o estado de MS, viajassem até Campinas (SP), com a carga de maconha, distância de ao menos mil quilômetros, sem serem incomodados pela polícia.

Anvestigação quer saber é como que o trio militar saiu com o caminhão das Forças Armadas do Brasil, de Campo Grande, se o veículo em questão, usado para o tráfico de droga, estava em manutenção, numa mecânica, dentro do quartel do 20º RCB.

PASSEIO

Os cabos do Exército Higor Abdala Costa Attene, Raul Simão Martins e Maykon, conforme publicado pela EPTV, aliada da Rede Globo, informou que os três militares saíram com o caminhão do Exército, em Campo Grande, e foram até à fronteira com o Paraguai, passando por Ponta Porã, onde pegaram a carga da maconha. Essa viagem teria sido feita no sábado (27).

Confirmada essa rota, os cabos do Exército em questão “passearam” por mais 350 quilômetros (distância de Campo Grande à fronteira) com a droga em solo sul-mato-grossense.Além dos mil quilômetros até o local da prisão.

Dali, segundo depoimento dos próprios militares, eles seguiram para Campinas (MS), onde foram detidos, na madrugada de domingo retrasado (28). A Polícia Civil, por meio de nota, divulgou que investigava o caso havia meses. No entanto, segundo a polícia, os traficantes seriam do interior paulista, civis e que as prisões dos militares foram uma surpresa para eles.

Os policiais fizeram uma campana perto de uma empresa desativada, em Campinas e, ao perceberem os cabos do Exército tentaram fugir do local com o caminhão, mas foram dominados logo depois, numa rodovia perto. Os três cabos e outros dois civis que ocupavam veículos diferentes foram detidos.

À TV em Campinas, delegado da Dise (Delegacia de Investigação sobre Entorpecentes) disse que a maconha apreendida, três toneladas, seria distribuída em ao três cidades: Campinas, Baixada Santista, Jundiaí e a capital São Paulo.

Jornal Midiamax