Polícia

Fazendeiro é multado em R$ 12 mil por degradar matas ciliares do Rio Taquarussu

Ocorreu em Anastácio

Diego Alves Publicado em 21/11/2016, às 22h49

None
unnamed.jpg

Ocorreu em Anastácio

A PMA (Polícia Militar Ambiental) multou um fazendeiro em R$ 12 mil por desmatamentos ilegais e degradação de matas ciliares do Rio Taquarussu em Anastácio, cidade a 140 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com a PMA, o crime foi descoberto durante fiscalização em uma chácara às margens do rio Taquarussu, na tarde deste domingo (20).Policiais Militares Ambientais de Aquidauana localizaram a supressão de vegetação de cerrado ilegalmente e a degradação de matas ciliares do rio Taquarussu e do córrego Combate.

Ainda segundo a polícia, os dois desmatamentos executados pelo proprietário rural, de 62 anos, em áreas diferentes, sem autorização ambiental, que medidos com GPS perfizeram 1 hectare cada um.

Além disso, o infrator construiu um muro de 40 metros em alvenaria, localizado a oito metros do rio Taquarussu, onde deveriam ser conservados 50 metros de proteção permanente de matas ciliares.

Outra infração verificada foi a extração de areia para aterro também dentro do que seria área protegida de matas ciliares de um curso d’água. Foi escavado para a retirada do aterro um trecho localizado a três metros de um córrego denominado Combate, que corta a propriedade, onde deveriam ser conservados 30 metros de proteção. Todas as atividades foram realizadas sem a licença ambiental.

O aterro fora retirado para uso na propriedade e para uso no pátio de um posto de combustível pertencente ao infrator.

As atividades foram paralisadas. Contra o infrator, residente em Anastácio, foi confeccionado auto de infração administrativo e arbitrada multa de R$ 12 mil Ele também responderá por crime ambiental, que prevê pena de três a seis meses de detenção.

O autuado foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação de Área Degradada (PRADE), junto ao órgão ambiental.

Jornal Midiamax