Polícia

Em sessão de busca no cemitério clandestino, Nando dá ‘jóinha’ à imprensa

Número de vítimas pode chegar a 13

Midiamax Publicado em 19/12/2016, às 19h31

None
6666666666666666.jpg

Número de vítimas pode chegar a 13

Antes de apontar o local de mais ossadas de vítimas que ‘desapareceram’ no Danúbio Azul, Luiz Alves Martins Filho, de 49 anos, o Nando, chegou a acenar com um 'joinha' para a imprensa presente no local. Nas buscas da tarde desta segunda-feira (19), as equipes tentam localizar os restos mortais de Eduardo, Malu e Flávio.

Pela manhã, as equipes encontraram os restos mortais de duas mulheres, ambas com nome de “Jenifer”. 

Conforme o delegado responsável pelas investigações, Márcio Obara, da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), Nando revelou nesta tarde, que teria enterrado 'Eduardo' ao lado de uma plantação de abóbora e que em seguida tapou com um colchão de espuma.

Por se tratar de um aterro, as equipes enfrentam dificuldades, por causa do nível do solo. "Na época estava mais baixo, como um buraco. Por se tratar de um aterro, muita terra já foi jogada aqui e já encontramos até bloco de concreto", disse o delegado.

Entre as ossadas localizadas nesta manhã, a suspeita é de que das vítimas chamava-se “Jenifer Larissa”. Segundo a polícia, as identidades só poderão ser confirmadas após resultados de exames realizados pelo Imol (Instituto Medico Odontológico Legal). 

A Polícia Civil acredita que são 16 as vítimas do assassino. Existe a possibilidade de que 13 pessoas foram enterradas na região do Jardim Veraneio e, as outras três vítimas não terem sido enterradas ou, foram enterradas em outros bairros. A motivação dos crimes seria pelo fato de que Nando agia como um "justiceiro" contra quem praticava roubos e furtos na região. A maioria das vítimas foram mortas por estrangulamento.

10 OSSADAS ENCONTRADAS:

1 – ‘Café’, que não teve o nome divulgado, foi morto por Jean, Michel e Nando e localizado em uma das primeiras buscas. Ele devia dois fretes no valor de R$ 170 para Nando.

2 – ‘Alemão’, morto há 4 anos por Jean, Nando e uma terceira pessoa ainda não identificada e também já foi encontrado. Ele vendeu para um integrante do grupo criminoso uma TV e usou o dinheiro para comprar drogas. Ao descobrirem que o aparelho era furtado, os criminosos mataram o rapaz.

3 – Bruno Santos da Silva, o ‘Bruninho’, foi assassinado em 2013 por Nando. Em 2009 ele teria agredido um sobrinho de Nando, que o estrangulou por vingança.

4 – Ana Cláudia Marques, de 37 anos, era mãe de 6 filhos e foi assassinada em setembro de 2015 por dívidas de drogas com o grupo. 

5 – Jhennifer Luana Lopes, a Larissa, morta em março deste ano, aos 16 anos, por Nando e Michel porque praticava furtos.

6 – Lessandro Valdonado de Souza, de 13 anos, que foi assassinado porque flagrou uma traição da cunhada de Talita e convenceu ele a matar o menino.

7 – Aline Farias Silva, de 22 anos, morta por Michel Henrique Vilela Vieira, de 21 anos e Luiz Alves Martins Filho, de 49 anos, o Nando em março deste ano, depois de supostamente cometer furtos na região do Danúbio Azul, para trocar produtos por drogas. 

8 – Adolescente Daniel Gomes Carvalho, de 17 anos, foi morto enforcado com uma correia de máquina de lavar por Claudinei Augusto Orneles Fernandes, 24, e Luiz Alves Martins Filho (49), o ‘Nando’.

9 – (POLÍCIA AINDA AGUARDA LAUDOS) Jennifer Lima da Silva que sumiu aos 13 anos. Ela foi enforcada por Wagner, Jean e Nando, porque também praticava furtos no bairro para conseguir manter o vício em entorpecentes.

10 – (POLÍCIA AINDA AGUARDA LAUDOS) Jennifer Larissa.

AINDA ESTÃO DESAPARECIDOS

11 – 'Malu'(Pode estar enterrada no Cemitério clandestino)

12 – Eduardo Dias Lima, o ‘Eduardinho’, de 15 anos, que foi assassinado em 2015 por furtar garrafas de Nando. (Pode estar enterrado no Cemitério clandestino)

13 – Flávio Soares Correa, morto em abril de 2015, com 25 anos. Foi assassinado por Jean e Nando porque praticava furtos no bairro e era considerado ‘afeminado demais’ pelos criminosos. (Pode estar enterrado no Cemitério clandestino)

14 – Vanderlei de Almeida Junior foi morto também por praticar furtos. Em 2013 Nando já teria tentado assassiná-lo.

15 – Daniel de Oliveira Barros foi assassinado em março de 2014, com 28 anos. Nando o matou com golpes de chave de fenda no pescoço por praticar furtos no Danúbio Azul.

16 – Alex da Silva Santos, assassinado em março de 2016 aos 18 anos. Wagner e Nando cometeram o assassinato por ele ter furtado ferramentas no valor de R$ 70.

(Atualizada às 18h09 de 20 de dezembro para inclusão de informações)

Jornal Midiamax