Polícia

Durante velório de atropelado, família diz que perseguição durou fim de semana inteiro

A vítima saia de uma conveniência quando foi atropelada  

Midiamax Publicado em 01/08/2016, às 18h35

None
casal_editada.jpg

A vítima saia de uma conveniência quando foi atropelada  

Um fim de semana de perseguição e ciúmes teria resultado na morte de Rafael Souza Carmo, de 25 anos, na noite deste domingo (31) depois de ser atropelado pelo ex da atual namorada. A afirmação foi feita pela família do rapaz durante seu velório na tarde desta segunda-feira (1º).

A tristeza e o inconformismo eram evidentes no olhar de todos que compareceram para se despedir de Rafael. Segundo Jorge Roberto do Espírito Santo Carmo, tio de Rafael, o sobrinho ajudava o pai como corretor de fazendas e teria entrado para a igreja evangélica recentemente para abandonar o passado de erros que viveu.

Mesmo com pouco tempo juntos, o único problema para a família era o envolvimento do rapaz com a moça. “O assassino perseguiu eles durante todo o fim de semana e atropelou meu sobrinho quando ele saia de uma conveniência. Pouco antes do acidente ele chegou a postar uma foto com a namorada no Facebook”, lamentou Jorge Roberto.

O crime aconteceu por volta das 18h30, quando o suspeito encontrou o casal parado em uma rua do Bairro Mata do Jacinto. O tio de Rafael ainda detalhou que eles estavam na moto que pertence à mãe do rapaz e que mesmo depois de derrubar o casal do veículo, o assassino teria dado ré e ‘passado por cima’ de Rafael mais uma vez.

Segundo a Polícia Civil, testemunhas identificaram o autor crime como Max William Romana dos Santos, ex da namorada de Rafael. O suspeito teria atropelado os dois usando um veículo oficial do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) que passava por conserto na oficina em que ele trabalhava.Durante velório de atropelado, família diz que perseguição durou fim de semana inteiro

Ainda segundo a polícia, a jovem já teria pedido medida protetiva com Max William em maio deste ano, depois de ser agredida por ele e registrar um boletim de ocorrência. Mas em junho resolveu tirar a ação contra o ex por achar que ele não ‘apresentava mais perigo’.

O caso agora é investigado pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher) e o suspeito, que será indiciado por homicídio qualificado e tentativa de feminicídio, contínua foragido. 

Jornal Midiamax