Polícia

Dívida de droga paga com VW Fox ‘entrega’ esquema de tráfico na Capital

 Traficante passava a noite preso e vendia droga de dia  

Midiamax Publicado em 26/01/2016, às 20h13

None
img-20160126-wa0013.jpg

 Traficante passava a noite preso e vendia droga de dia  

Um desvio do trabalho e o pagamento de uma dívida de droga com o carro da namorada, foi assim que, sem querer, um homem de 26 anos levou equipes da 1ª Delegacia de Polícia Civil a uma dupla de traficantes suspeita de fornecer cocaína para a região da antiga rodoviária de Campo Grande. Os suspeitos, irmãos que vieram do Maranhão, acabaram presos nesta segunda-feira (26).

O caso começou no sábado (23), quando o rapaz pegou o carro, um Volkswagen Fox, da namorada, de 38 anos, para ir trabalhar. No caminho, ele resolveu mudar a rota e parar em um bar próximo à antiga rodoviária para beber e consumir drogas. Lá o homem encontrou um traficante a quem devia e por isso resolveu deixar o veículo como pagamento.

Depois disso, o homem fugiu e parou de atender as ligações da namorada. No final da tarde de domingo (24) a vítima foi até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro e registrou um boletim de ocorrência de desaparecimento, relatando que não via o namorado desde o dia anterior, quando ele saiu com seu carro.

Nesta segunda-feira (25) equipes da 1ª Delegacia de Polícia Civil iniciaram as investigações e logo encontraram o veículo estacionado na antiga rodoviária. De campana, os policiais esperaram até verem Marco Antônio da Silva e Silva, de 24 anos, vulgo ‘Maranhão’ ou ‘PCC’, desativar o alarme e entrar no Fox.

O suspeito foi abordado e acabou apontando o local onde seu irmão estava hospedado. Edson Reis da Silva, de 28 anos, o ‘Gordão”, foi encontrado no quarto 304 do Hotel Iguaçu. No local a polícia localizou uma grande quantia de dinheiro em notas pequenas, 11 gramas de cocaína e vários relógios sem procedência.

Segundo o delegado Bruno Urban, responsável pelo flagrante, o carro da vítima ainda foi usado pela dupla para a venda de drogas na região. Uma quantia de dinheiro também foi encontrada no veículo, somando um valor de R$ 650.

De acordo com Urban, Marco foi preso por tráfico de drogas há cerca de quatro anos e até dezembro cumpria pena no regime semiaberto, neste período ele vendia a droga de dia e de noite voltava para o presídio. “A testemunha contou que comprou entorpecente com ele, de dia, três ou quatro vezes. Eles negaram todas as acusações, mas os depoimentos deles não bateram em momento nenhum”, lembrou o delegado.

Marco alegou que o irmão trabalhava como vendedor de açaí e veio do Maranhão há 10 dias para buscá-lo. Já Edson relatou que veio trabalhar como técnico de refrigeração, mas até então não portava nenhum equipamento, ou filiação com empresas especializadas na área.

Para a polícia, o ‘negócio’ de Marco estava ‘dando certo’ e ele chamou o irmão para participar do esquema de venda de drogas. Agora a investigação comprovará se a dupla era a responsável por fornecer cocaína para a região. Os irmãos foram indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico, além de receptação.

O rapaz de 26 anos também responderá por apropriação indébita, já que entregou um carro que não era seu.

Jornal Midiamax