Polícia

Corpo encontrado em rio seria de peão que desapareceu após sair para buscar fumo

Ele atravessou o rio a pé

Renata Portela Publicado em 15/03/2016, às 14h54

None
delegacia_de_nioaque.jpg

Ele atravessou o rio a pé

O corpo de um homem encontrado boiando na manhã de segunda-feira (14) no rio Nioaque seria de Gerson Francisco de Souza, de 44 anos. Ele estava desaparecido havia 20 dias, após sair da fazenda onde trabalhava e atravessar o rio para buscar fumo na propriedade vizinha.

Segundo a Polícia Civil, apenas o laudo pericial com teste de DNA, que pode levar até 30 dias para ficar pronto, definirá se o corpo era de Gerson, já que estava em avançado estado de decomposição. Contudo, ele foi sepultado por familiares do morador de Vicentina, que acreditam que o homem tenha sido levado pela correnteza e morrido afogado.

Na época do desaparecimento do homem, Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado, pois Gerson havia atravessado o rio mais de uma vez, ao tentar buscar fumo nas fazendas vizinhas à propriedade rural onde ele trabalhava. Apesar das buscas, o homem não foi encontrado.

Morte a esclarecer

De acordo com o boletim de ocorrência, um pescador foi até as margens do rio na manhã de segunda-feira e viu o corpo boiando, então acionou a polícia. O caso foi registrado na Delegacia de Nioaque, cidade a 187 quilômetros da Capital, como morte a esclarecer e segue em investigação.

Jornal Midiamax