Polícia

Casal que fazia tráfico interestadual é preso com 228 tabletes de maconha

Arma apreendida tem grande poder letal, segundo delegado

Padrão do site Publicado em 19/01/2016, às 19h32

None
img-20160119-wa0035.jpg

Arma apreendida tem grande poder letal, segundo delegado

A equipe da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) prendeu nesta terça-feira (19) um casal por tráfico de drogas, no Jardim Guanabara, em Campo Grande. Simone Oliveira Gimenes, de 28 anos, e Francisco Modesto Vicente, de 21, foram apreendidos com 228 tabletes de maconha e são suspeitos alimentar o mercado dos entorpecentes na Capital e em outros estados.

Uma ocorrência de furto em uma empresa de bebidas, na manhã desta terça-feira, desencadeou o comércio que o casal mantinha na região. De acordo com informações do delegado Reginaldo Salomão, policiais da Derf durante investigação do furto no local perceberam marcas de sapato que os levava até uma residência, na rua Cotoxó.

Desconfiados foram até a casa, onde estava Alexandre Gimenes e Simone. A entrada da policia na residência foi bloqueada pelos dois, que alegaram que só seria permitida com ordem judicial.

Francisco Modesto, marido de Simone chegou no momento em que a equipe exigiu os documentos pessoais. Segundo Salomão, os três alegaram que iriam dentro de casa buscar os papeis, mas bastou uns minutos para perceber que Alexandre pulava o muro em tentativa de fuga.

A equipe entrou na casa para vistoria e após fiscalização foram encontrados diversos porções de maconha, espalhadas pela cozinha, totalizando 228 tabletes e uma arma, Frank Stas calibre 12, "uma carabina semi automática" escondida embaixo da cama do casal.

Para a equipe do Midiamax, Francisco alegou que os entorpecentes eram trazidos do Paraguai e vendidos aqui no Estado por R$700 o quilo, mas o traficante afirmou ir além. Francisco assumiu ser fornecedor no Estado de São Paulo e no Acre, onde conseguia retirar R$ 5 mil pelo quilo da droga. A arma encontrada embaixo de sua cama, custou R$ 8 mil e é considerada pelo delegado, uma arma perigosa. “É uma arma com poder letal bem maior que o normal”.

O casal foi preso por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo e serão encaminhados para Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico). Alexandre fugiu e segue foragido, a polícia suspeita que seja o autor do furto das bebidas.

O caso será investigado pela Derf, sobre a possivel participação de outros integrantes.  

Jornal Midiamax