Polícia

Câmeras de residencial podem ajudar a desvendar morte de homem carbonizado

Polícia recolherá imagens

Renata Portela Publicado em 21/09/2016, às 13h05

None
camera1.jpeg

Polícia recolherá imagens

A Polícia Civil contará com ajuda das imagens de câmeras de segurança do Residencial Beirute para investigar a morte de um homem carbonizado. O corpo da vítima foi encontrado na manhã desta quarta-feira (21), por um funcionário que chegava no residencial para trabalhar.

Uma das câmeras do circuito de segurança fica virada exatamente para o local do crime, então policiais civis solicitaram as imagens. Além das filmagens, um celular encontrado ao lado da vítima foi apreendido e, apesar de ter sido destruído pelo fogo, será periciado.

Outras pistas sobre a identificação da vítima como documentos, foram destruídos pelas chamas.

Entenda o caso

Homem entre 30 e 40 anos foi encontrado carbonizado ao lado do residencial. Equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Perícia e Polícia Civil estiveram no local no início da manhã.

Segundo o delegado Camilo Kettenhuber Cavalheiro, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, a vítima teve 95% do corpo queimado, mas ainda assim os peritos e investigadores conseguiram notar que estava com a língua protusa, para frente.

Tal fato dá indícios que o homem teria sido estrangulado antes de ter o corpo queimado. Ainda segundo o delegado, por enquanto não é possível dizer se o homicídio ocorreu no local ou se o corpo foi 'desovado' no matagal e queimado. Por conta do estado do corpo, a suspeita é de que tenha sido usado algum tipo de combustível para o incêndio.

Com parte da mão da vítima, que não foi queimada, a Perícia tentará fazer um exame papiloscópico, para tentar identificar o homem. Ainda assim, se houver dificuldades, o delegado solicitará um exame de DNA ou um exame necropapiloscópico.

O caso deve ser investigado pela 3ª Delegacia de Polícia Civil.

Jornal Midiamax