Polícia

Cacique leva tiro no peito durante desocupação de fazenda em MS

Equipes da Polícia Federal são aguardadas no local

Guilherme Cavalcante Publicado em 12/03/2016, às 20h14

None
1811131-fazendeiros-farao-leilao-para-financiar-resistencia-contra-indigenas.jpg

Equipes da Polícia Federal são aguardadas no local

Um indígena de etnia terena foi atingido por diversos tiros por volta das 11 horas deste sábado (12), na fazenda Cristal, localizada entre Dourados e Itaporã, nas proximidades da MS-156. A vítima foi identificada como Izael Reginaldo, um dos caciques na aldeia Jaguapiru. Ele passou por cirurgia no Hospital da Vida, em Dourados e, segundo lideranças indígenas, não corre risco de morte.

"A gente chegou na sede abandonada da fazenda e estávamos limpando a área quando chegaram duas camionetes com pessoas armadas, que começaram a atirar. Saímos correndo, levamos crianças e mulheres para dentro do mato e depois viemos para aldeia Jaguapiru. foram disparados pelo menos dez tiros, que atingiram o Izael no tórax, braço e perna", conta Valdineis Ramires, que testemunhou o ocorrido.

Conflitos e retomadas

Cerca de 16 mil indígenas de etnia terena e guarani-cauá estão espremidos numa área de cerca de 3 mil hectares, a reserva Indígena de Dourados, entre Itaporã e Dourados, cortada pela rodovia MS-156. Por ser espaço insuficiente, as comunidades reivindicam as terras indígenas não demarcadas, que atualmente estão sob domínio de fazendas.

A retomada da área da fazenda Cristal aconteceu na manhã desta sábado, quando cerca de 300 famílias de indígenas ocuparam o local, sendo, posteriormente, expulsos por seguranças dos proprietários da fazenda. Após o atentado contra Izael, as famílias já estão fora dos limites da fazenda.

Jornal Midiamax