Polícia

Brasileiros que seriam ligados a narcotraficante fogem no Paraguai

Um foi capturado

Midiamax Publicado em 26/10/2016, às 19h33

None
emboscada32.jpg

Um foi capturado

Quatro brasileiros, supostamente membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), fugiram nesta quarta-feira (26) da Penitenciária de Emboscada, na cidade de Assunção, capital do Paraguai. Eles seriam aliados do narcotraficante brasileiro Jarvis Pavão, que chegou a ser apontado como suspeito da morte de Jorge Rafaat em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, a 320 quilômetros de Campo Grande.

Brasileiros que seriam ligados a narcotraficante fogem no ParaguaiO diretor de estabelecimentos penitenciários do Ministério da Justiça, Julio Aguero, informou ao ABC Color que a fuga ocorreu por volta das 3h da madrugada, mas não sabe como aconteceu. A suspeita é de que algum agente tenha ajudado na fuga dos presos. São eles: Jonathan Rodrigues Lima (23), Mario Monteiro (29), Alan Cristian de Lucena (25) e Baldecir Goncalvez (37).

Alan, preso por roubo, foi recapturado a poucos quilômetros do presídio. Os outros três estão foragidos.

Jonathan Lima é acusado de participação no assassinato do agente penitenciário Mario Lezcano Mereles, que descobriu plano de fuga do preso Jarvis Gimenes Pavão. O traficante de 48 anos é suspeito da morte cinemátrográfica do narcotraficante rival Jorge Rafaat. O crime aconteceu no dia 15 de junho, em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã, município sul-mato-grossense e 313 quilômetros de Campo Grande.

Baldecir Goncalvez seria membro ativo do PCC, e apontado como quem introduziu os outros fugitivos a organização criminal. Ele foi levado há cerca de um mês para o presídio da região de Emboscada depois de liderar uma revolta na ala de segurança máxima de Tacumbú. Já, Mário Monteiro foi preso há dois anos depois de assaltar um fazendeiro. A Polícia apura se agentes penitenciários facilitaram a fuga dos presos.

Jornal Midiamax