Polícia

Brasileiro suspeito de matar Rafaat com .50 nega envolvimento em crime

Suposto membro do PCC

Diego Alves Publicado em 01/07/2016, às 00h22

None
sergio.jpeg

Suposto membro do PCC

O brasileiro Sergio Lima dos Santos, suposto membro do PCC (Primeiro Comando da Capital), que seria quem atirou e matou com uma metralhadora .50 o narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, nega participação no crime ocorrido na noite do dia 10 de junho.  

Perguntado a respeito das acusações o juiz Edgar Ramírez disse que o acusado se mostrou “surpreendido” com os acontecimentos, e negou ter sido o participante do atentado contra Rafaat. “Como…, que eu matei o Rafaat?”, havia manifestado ao Juiz Ramírez, Sergio Lima dos Santos.

A justiça paraguaia acusa Sergio de ser o operador da metralhadora .50 usada para executar Jorge Rafaat, pelo fato de ele ter dado entrada no Hospital Viva Vida em Pedro Juan Caballero, horas depois do tiroteio. Sergio chegou ao hospital em um veículo Golf com ferimentos no pescoço causados por disparo de arma de fogo, conforme registros da câmera de segurança do local.

Segundo o site Amambay Notícias, uma comitiva do Ministério Público viajou até Fernando de La Mora para verificar o estado de saúde do suspeito. Eles apuraram que o preso está estável e será transferido para uma sala comum onde seguirá com a supervisão policial.

O brasileiro é acusado de homicídio doloso, associação criminal, transgressão a lei das armas. Nesse sentido os fiscais pediram medida cautelar e prisão preventiva.

Jornal Midiamax