Polícia

Arma que matou Rafaat já tinha sido usada em tentativa de homicídio a piloto

Rafaat foi executado na última quarta-feira (15)

Thatiana Melo Publicado em 23/06/2016, às 12h55

None
execucao_rafaat.jpg

Rafaat foi executado na última quarta-feira (15)

A arma usada para executar, Jorge Rafaat Toumani, na última quarta-feira (15), já tinha sido usada em uma tentativa de homicídio de um piloto, em Pedro Juan Caballero, que teve ferimentos leves, segundo informações da Ordem de Segurança de Amambai.

A metralhadora 5,56 usada na execução de Rafaat passou por testes, o que confirmou a utilização da arma, na tentativa de assassinato a um piloto, segundo o site ABC Color. Jorge Rafaat Toumani foi executado na última quarta-feira (22) em uma emboscada quando sai de seu escritório, no Paraguai.

Toumani foi atacado por um grupo de pessoas com fuzis AK 47 e Mag antiaérea e metralhadoras. Os suspeitos estariam em três veículos. No local, além de centenas de cápsulas de projéteis, a polícia também encontrou armas de grosso calibre, tais como fuzis e 50, todos de posse militar, que furaram a blindagem do Jipe Hummer, do mesmo modelo utilizado pelo exército dos Estados Unidos.

Nele, estava Jorge Rafaat Toumani, vítima fatal. Vários outros ficaram feridos, dentre eles um policial identificado como Jorge Espíndola.

O veículo do empresário ficou parado no meio da rua durante toda a troca de tiros. O ataque é atribuído ao prisioneiro Chimenes Jarvis Pavão, mas a justiça paraguaia também citou que podem estar envolvidos o Comando Vermelho ou o PCC (Primeiro Comando da Capital).

Jornal Midiamax