Polícia

Apreensões na fronteira durante o fim de semana somam mais de R$ 4 milhões

Trabalho foi realizado pelo DOF

Renata Portela Publicado em 28/06/2016, às 15h04

None
5c85bb1d-85c8-4661-8600-d5b2f8a8c1d8-300x169.jpg

Trabalho foi realizado pelo DOF

De sexta-feira (24) até segunda-feira (27), apreensões de produtos ilegais feitas pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira), somaram mais de R$ 4,5 milhões. Durante o fim de semana foram apreendidas cargas de maconha, cocaína e cigarros contrabandeados na fronteira.

Segundo o DOF, na manhã de sexta-feira, policiais fizeram apreensão de 1.525 quilos de maconha em Iguatemi, após uma camionete furar o bloqueio policial na MS-295 e tombar na MS-180. Ainda durante a operação foram apreendidos 3 veículos e 6 pessoas foram presas. A droga foi avaliada em R$ 1,6 milhões.

Já na madrugada de sábado (25) foi feita apreensão de 712 quilos de maconha em Amambai, em um veículo que estava abandonado nas margens da rodovia. Duas pessoas foram presas, fazendo serviço de batedoras, e três veículos apreendidos. A carga foi avaliada em R$ 712 mil.

No domingo (26), um Picasso prata transportava uma Hond NXR Bros 150 na região de Bela Vista, quando foi abordada pelos policiais do DOF. Foi constatado que tanto o carro quando a moto haviam sido furtados em Campo Grande e foram apreendidos.

Em Dourados, no fim da manhã de segunda-feira, carreta carregada com mil caixas de cigarros contrabandeados do Paraguai também foi apreendida. O veículo estava nas margens da BR-163 e havia sofrido uma pane elétrica. A carga foi avaliada em R$ 2,2 milhões e o motorista foi preso na oficina, após levar o cavalo para conserto.

No início da tarde de segunda-feira, adolescente foi apreendido transportando cocaína em um ônibus na MS-295. A droga era levada em um fundo falso da mala e tinha como destino Balneário Camboriú (SC). Foram apreendidos 2 quilos do entorpecente, que totalizaram R$ 50 mil.

As apreensões somaram R$ 4,537 milhões. “Esse grande prejuízo que rotineiramente temos dado ao crime na fronteira, se deve a capacidade operacional e a motivação dos nossos policiais, alinhado a um planejamento estratégico bem definido pela direção e ao empenho do Governo do Estado, que vem suprindo as principais demandas do Departamento, possibilitando esse trabalho bem executado na fronteira, uma vez que a somatória desses fatores, são de primordial importância para o operador de segurança pública, principalmente na fronteira.” disse em nota o coronel Ary Carlos Barbosa, diretor do DOF.

Jornal Midiamax