Polícia

Após ataque e bilhete com ameaças, segurança de diretor de presídio de MS é intensificada

Bomba foi jogada em prédio da Justiça do Trabalho de Naviraí

Gerciane Alves Publicado em 10/08/2016, às 19h59

None
bomba.jpg

Bomba foi jogada em prédio da Justiça do Trabalho de Naviraí

Depois do ataque na madrugada desta quarta-feira (10) ao prédio da Justiça do Trabalho de Naviraí, cidade a 358 quilômetros de Campo Grande e ameaças deixadas em um bilhete, a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) disse que a segurança do diretor da Penitenciária de Segurança Máxima do município Rogério Capote, foi intensificada.

Uma bomba caseira do tipo coquetel molotov foi jogada no local nesta madrugada nos fundos do prédio. O artefato caseiro explodiu próximo a uma das portas, mas não causou danos ao prédio. Porém, além da bomba os bandidos jogaram ainda um tijolo com um bilhete amarrado. Segundo informações do site Ta na mídia Naviraí, no bilhete os autores do atentado pediam a transferência do diretor da penitenciária.

No bilhete os autores diziam que era integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). O bilhete foi recolhido pela PF (Polícia Federal), que irá investigar o caso por se tratar de um órgão da união. Ainda segundo o site, boatos de que a Polícia Civil teria emitido um alerta sobre a possível ocupação da facção criminosa circulou no município, mas foi desmentida pelo delegado titular da Primeira Delegacia de Polícia Civil da cidade, Edson Luis.

Segundo o diretor presidente da Agepen, Airton Stropa investigações estão sendo feitas para apurar os autores do atentado e do bilhete. Ele conta que após a rebelião no presídio que ocorreu no dia 4 de agosto todos os acontecimentos na cidade estão sendo monitorados e a intensificação da segurança do diretor Rogério Capote já foi solicitada.

Incêndio a ônibus

Três ônibus foram incendiados na madrugada de sexta-feira (5) em Naviraí. Os veículos estavam em uma garagem da prefeitura. Antes disso, uma rebelião no Presídio de Segurança resultou na morte de dois presos, um deles decapitado. Ainda não há confirmação se os crimes têm relação entre si.

A PM (Polícia Militar) foi acionada e fez buscas por dois suspeitos de bicicleta que foram vistos pelo vigia da garagem prefeitura. As investigações ficaram sob responsabilidade da Polícia Civil.

Jornal Midiamax